Acompanhe- 03/05/2015

“Ação irregular Correios”

“Os Correios trabalharam com as 66 mesorregiões.”

Trecho da fala de um deputado do PT sobre o trabalho feito pelos Correios para a campanha do PT em Minas Gerais.

No dia 27/04 o senador Aécio Neves publicou artigo na Folha de S. Paulo criticando o uso político dos Correios em favor do PT. No dia 01/05 o presidente dos correios publicou artigo no mesmo jornal tentando responder às denuncias que são amplamente conhecidas pelo país.

Esse artigo, por um lado, repete a mesma velha estratégia adotada pelo PT quando não tem condições de enfrentar e responder a denúncias da sociedade: omite dados e falta com a verdade.

Por outro, traz pelo menos uma novidade: para defender o governo Dilma de acusações de possíveis “mal feitos”, pela primeira vez um alto dirigente de uma estatal federal empurra a responsabilidade pelas consequências do aparelhamento da empresa e dos fundos de pensão para o governo Lula.

É o que ele faz ao dizer que “quanto ao Postalis, o fundo de pensão dos Correios, o déficit técnico-atuarial decorre, em grande parte, de investimentos anteriores a 2011”. Isto é, colocou na conta do ex-presidente Lula a escandalosa situação do fundo de previdência dos trabalhadores dos Correios.

Aqui é também impossível não reparar que o rombo bilionário denunciado pela imprensa e pelo sindicato da categoria tenha sido candidamente transformado em “déficit técnico-atuarial”.

Com relação à velha técnica do PT de tentar confundir a opinião pública, são inúmeras as “imprecisões“ do artigo que, pela gravidade dos temas tratados, merece esse espaço.

Primeiro, o senador não disse em seu artigo que a empresa havia dado prejuízo. Disse que denúncias foram feitas por funcionários da estatal indignados não só com o “prejuízo financeiro, mas com o comprometimento da imagem de uma empresa que até pouco tempo atrás tinha a confiança de todos os brasileiros. A conta é alta: o rombo do Postalis pode ser de R$ 5,6 bilhões”. É evidente que o senador refere-se objetivamente ao rombo financeiro no Postalis.

Não são 23 pessoas que deixaram de receber correspondências, como faz crer o presidente dos Correios. Na verdade, reclamações vieram de dezenas de diferentes cidades enquanto em Belo Horizonte e região metropolitana, bairros inteiros parecem não ter recebido as correspondências.

No artigo, nenhuma palavra do presidente sobre os trabalhadores da empresa que podem vir a ser penalizados pela negligência e má-fé dos diretores do fundo de pensão. Os 71.154 trabalhadores ativos dos Correios poderão ter que tirar dinheiro do bolso para cobrir o déficit do fundo de pensão dos empregados da estatal, o Postalis.

O aparelhamento, com uso indevido dos Correios em favor da campanha de Dilma foi fartamente denunciado por sindicatos de trabalhadores da empresa, em diversas regiões do país. Em 04/11/2014, o Tribunal Regional Eleitoral de Mato Grosso (TRE) condenou o diretor regional dos Correios do Estado, Nilton do Nascimento, por abuso de poder político e uso indevido de meio de comunicação durante a campanha eleitoral de 2014.

Os casos se repetiram em Minas Gerais e em São Paulo, com graves implicações para as eleições presidenciais do ano passado. O que atestaram os auditores do Tribunal de Contas da União (TCU) é que efetivamente os Correios descumpriram suas próprias normas e não poderia ter distribuído material de campanha da presidente Dilma sem a devida chancela, o que poderia de fato atestar a quantidade de material distribuído e o consequente pagamento pelo serviço. Sem a chancela, milhões de correspondências podem ter sido distribuídas de graça. Conheça aqui trecho da ação movida pelo PSDB Nacional.

Em Minas, correspondências pagas pela oposição nunca chegaram ao seu destino. Pressionado a dar explicações sobe o fato, os Correios chegaram a dizer que diante das reclamações iria fazer uma nova entrega do material. Detalhe: se todo o material havia sido entregue como afirma os Correios, com que material seria feita nova remessa? Leia aqui trecho da Ação proposta pela Coligação Todos Por Minas.

Com relação ao vídeo em que o deputado Durval Ângelo (PT/MG) afirma que “se hoje nós estamos com 40% [de votos] em Minas Gerais, tem dedo forte dos petistas dos Correios”, uma confissão pública de que petistas agiram dentro dos Correios para favorecer a campanha à reeleição de Dilma, o mesmo presidente dos Correios que assina o artigo, estava ao lado do deputado do PT nesse evento com funcionários da empresa em benefício da campanha do PT cuja gravação em vídeo foi amplamente divulgada e é também réu em ação proposta sobre o tema.

O presidente dos Correios considerou absolutamente natural ouvir um deputado do PT, em reunião com funcionários da empresa, que pertence a todos os brasileiros, afirmar que em reunião com o coordenador da campanha do PT em Minas, Helvécio Magalhães, realizada em um local discreto, um hotel, o mesmo teria afirmado que iria reunir a equipe para liberar a infraestrutura, afirmando que, graças a essa “sensibilidade” a Campanha do PT passou a ter capilaridade em Minas, não deixando dúvidas de que a infraestrutura liberada foi a da empresa.

Veja o trecho:

“Eu acho que eu tinha falado também com o Fernando que o Helvécio teve sensibilidade. No dia da reunião que nós tivemos no Hotel o Helvécio falou ‘Vou reunir com a equipe ainda essa semana e vamos liberar a infraestrutura’. E se hoje nós temos a capilaridade da campanha do Pimentel e da Dilma em toda Minas Gerais isso é graças a essa equipe do Correio. Os Correios trabalharam com as 66 mesorregiões“. Veja íntegra do vídeo aqui

 O aparelhamento e o uso político de uma das principais empresas do país têm sido denunciados por seus trabalhadores que merecem a solidariedade de todos os brasileiros.

Links adicionais:

  1. O Estado de S. Paulo – 24/03/2015 – TCU aponta ação irregular dos Correios 
  1. O Estado de S. Paulo – 30/09/2014 – “Em vídeo, deputado diz que tem dedo forte dos petistas dos Correios na campanha de Dilma” 
  1. Veja aqui o vídeo publicado pelo O Estado de S. Paulo:
  1. Portal Terra – 06/11/2004 – TRE-MT multa diretor dos Correios por induzir voto em Dilma 
  1. O Globo – 08/10/2014 – Diretor dos Correios em SC também pediu em carta votos para Dilma 
  1. Sindicato regional aponta favorecimento e reclamação de carteiros 
X
23/06/2017