Água na fogueira

Artigos - 22/08/2019

Colocar nossa riqueza ambiental em risco não interessa a ninguém. Perdemos todos. É hora de pôr água nestas labaredas e defender alguns dos nossos ativos mais valiosos: nossos recursos naturais, nossa imagem externa e, sobretudo, nossos empregos.

As últimas semanas têm assistido a episódios insensatos, para dizer o mínimo.

De um lado, o governo brasileiro ameaçou retroceder em políticas de preservação que há décadas têm se provado bem sucedidas.

De outro, o país virou foco de pressão da opinião pública internacional para que faça o que já vinha fazendo com louvor: produzir com respeito ao meio ambiente.

A polêmica nasceu na retórica, mas ora se alimenta do que, infelizmente, está acontecendo na realidade: indicadores atrás de indicadores estão mostrando piora nas condições ambientais do país nos últimos meses.

O Inpe mostrou alta de 278% no desmatamento no mês de julho. Também acaba de apontar elevação de 84% nas queimadas na Amazônia no ano até agosto, sob igual período de 2018, com efeitos sentidos até no Centro-Sul do país.

Contra fatos, não há argumentos – pelo menos, os argumentos sensatos.

A esgrima retórica e a disputa política alimentada pelo presidente da República e seu governo em torno do assunto estão passando mensagem de leniência com o desmatamento e minando a imagem do Brasil no exterior.

Nossa produção de alimentos – reconhecidamente feita com respeito ao meio ambiente – está sendo posta em xeque. Exportações estão sob risco.

A quem interessa isso? Certamente não ao Brasil, não aos brasileiros.

Temas relacionados:


X
22/08/2019
Charges