“O legado”, por Rogério Marinho

“A derrocada dos petistas traz importantes lições para o povo brasileiro. É um recado da história nacional de que populismos e socialismos jamais podem levar uma nação à prosperidade”

Artigos - 11/09/2017

A derrocada dos petistas traz importantes lições para o povo brasileiro. É um recado da história nacional de que populismos e socialismos jamais podem levar uma nação à prosperidade. O estatismo exacerbado e totalitário transforma países ricos em meros destroços. Depois de sucessivos governos esquerdistas, não é mais possível acreditar em promessas fáceis que se pretendem redentoras. Não é aceitável o brasileiro ser enganado por truques na economia.

O nosso PIB anual nas mãos incompetentes da Dilma Rousseff recuou 3,8% em 2015 e 3,6% em 2016. Ficamos mais pobres e desiguais graças ao petismo e seus profundos equívocos. Mesmo nos governos de Lula, o Brasil cresceu pouco comparado com outros países, inclusive nações consideradas em desenvolvimento. Hoje, estamos mergulhados na maior crise da República brasileira. O legado é o pior possível.

Os casos de fracassos socializantes pululam na história humana. O que está acontecendo na Venezuela, por exemplo, é típico. Socialistas bolivarianos conseguiram metamorfosear um dos maiores produtores de petróleo do mundo em um país de fome, desabastecimento generalizado e violência Estatal. Nos últimos meses, Maduro, o ditador, matou centenas de venezuelanos e encarcerou milhares por crime de opinião. Definitivamente não é coisa de amadores: tudo foi planejado e executado com rigor macabro. Amantes do Estado obeso e totalitário fizeram o mesmo em todos os lugares em que dominaram: antiga URSS, Alemanha Oriental, Coreia do Norte, Cuba e tantos outros que padeceram com utopias revolucionárias.

Iam fazer exatamente o mesmo no Brasil. Não escondiam mais as velhas pretensões de implantar um socialismo tupiniquim acordado no Foro de São Paulo. O impeachment da Dilma Rousseff conseguiu barrar o bolivarianismo brasileiro; deu um basta político e institucional nessa gente de péssimas intenções. Por fim, a Justiça dará o ponto final na história nada edificante do PT: uma organização criminosa que levou o país à beira do abismo.

Eles sempre prometem construir o paraíso na terra para depois estabelecer trevas e martírio. O desprezo pela realidade como ela é, a relativização dos valores, o uso de violência estatal e da propaganda enganadora compõem uma engenharia social de domínio e desprezo pelo povo. Eles esforçaram-se para fundir o poder econômico e o poder político. Não é exatamente o que vimos nos casos de corrupção do mensalão e do petrolão? Construíram uma grande parceria com os setores monopolizados da produção e fizeram pacto de sangue para sangrar os brasileiros. Saquearam as riquezas nacionais e destruíram os fundamentos econômicos causando inflação, desemprego e recessão.

No campo social, não poderíamos estar piores. Os petistas cantaram em verso e prosa uma competência que realmente nunca tiveram. Com eles no poder, continuamos firmes nas últimas posições em proficiência escolar e não superamos nenhuma mazela no setor de ensino. Os tais educadores socialistas distribuíram vagas e diplomas sem nenhuma qualidade correspondente. Construíram universidades e institutos federais que hoje padecem com dificuldades de ordem orçamentária e pedagógica. Aprofundaram o conhecido fracasso educacional brasileiro. Isso sem contar com a torpeza de utilizarem escolas para doutrinar estudantes, transformando-os em militantes zumbis dominados por palavras de ordem e marxismo vulgar.

O crime disparou nos anos petistas. Atingimos a marca vergonhosa de 60 mil homicídios por ano. Os presídios foram dominados por facções criminosas e nenhuma providência consistente foi tomada para barrar o avanço dessas organizações. As fronteiras nacionais foram tratadas com desprezo e leniência e o Brasil foi classificado pela ONU como o segundo maior mercado consumidor de cocaína e derivados do planeta.

Seriam necessárias páginas e mais páginas para descrever o mal que eles nos fizeram. Há um ano conseguimos barrá-los com o histórico impedimento. Hoje, começamos, lentamente, a superar as adversidades. Debelamos a inflação, retomamos o crescimento, oxigenamos as relações de trabalho e fizemos uma reforma do ensino médio. Há muito trabalho pela frente. O que fizeram no país não foi obra de amadores. Os petistas são mestres em destruir e provaram tal competência ao longo dos seus tristes 13 anos de poder.

X
11/09/2017
Charges