Gabrilli defende que museus ofereçam acessibilidade de conteúdo a deficiente

Objetivo da deputada é aumentar participação destas pessoas em ações culturais

Acompanhe - 05/07/2011

Objetivo da deputada é aumentar participação destas pessoas em ações culturais

Brasília (05) – Com o objetivo de aumentar a participação das pessoas com necessidades especiais em ações culturais, a deputada Mara Gabrilli (SP) apresentou projeto de lei que obriga os museus a incluírem na elaboração do plano museológico o princípio da acessibilidade física e de linguagem expográfica – conjunto de registros de objetos que estão em exposição – condizente às pessoas com deficiência.

A tucana defende o uso da tecnologia para promover a acessibilidade ao público. “Como sabemos, hoje já dispomos de modernas tecnologias e suportes de informação que podem ser usados pelos museus com vistas a atender as pessoas com deficiência”, destacou.

Segundo ela, a Linguagem Brasileira de Sinais (Libras) permite, por exemplo, visitas guiadas, por meio de confecção de folhetos e guias explicativos em braille. Os museus, explica, poderiam fazer maquetes e peças de acervo original para uso tátil dos deficientes visuais.

Gabrilli reforça que é insuficiente garantir apenas o acesso físico, como prevê a Lei de Acessibilidade. A parlamentar acredita ser preciso promover a promoção aos conteúdos. Segundo ela, a iniciativa mostra o quanto é urgente a adoção de novas estratégias de mediação e acesso à informação na gestão cultural.

“A finalidade desta proposição é demonstrar a necessidade de uma nova forma de atuação institucional por parte dos museus brasileiros”, destacou. “Devemos levar em consideração o direito e o desejo das pessoas com deficiência em usufruírem dos bens culturais de nosso patrimônio”, ressaltou.

Fonte: Diário Tucano – Foto: Marco Túlio

Temas relacionados:


X
05/07/2011
Charges