Alckmin: “Estou mais preparado e mais amadurecido para governar o Brasil”

Notícias - 28/06/2018

Em entrevista a rádio Grande Rio de Petrolina – no Sertão do São Francisco de Pernambuco – o pré-candidato à Presidência pelo PSDB, Geraldo Alckmin, disse que se encontra “mais preparado e mais amadurecido” para governar o Brasil e fazer o país voltar a crescer.

“O Brasil perdeu a capacidade de investimento, por isso vamos fazer a economia voltar a crescer e para isso o Nordeste precisa voltar a crescer porque é a região que mais rapidamente responde aos investimentos. Estou mais preparado, mais amadurecido para fazer o Brasil voltar a crescer e avançar mais na Segurança como fizemos em São Paulo”, comprometeu-se.

O tucano adiantou ainda que, se eleito, se dedicará à recuperação das águas e do Rio São Francisco para ampliar a irrigação no sertão nordestino. Voltou a defender a urgência de se implementar as reformas – como a política e tributária – e de investir fortemente na infraestrutura do país. “Quero um canteiro de obras no Brasil porque tudo que envolve infraestrutura gera empregos e esse é meu objetivo, gerar empregos”.

Confira abaixo íntegra da entrevista concedida nesta quarta-feira (27/06):

Perfil –

Meu pai era veterinário. Até os 16 anos só morei na zona rural. Fiz medicina, trabalhei na Santa Casa da minha cidade Pindamonhagaba, fui prefeito da minha cidade por seis anos, deputado estadual, federal duas vezes, vice-governador do Mário Covas e quatro vezes governador de São Paulo. Sou casado com a Lu há 38 anos. Temos três filhos. Já fui candidato a presidente em 2006, tive mais de 40 milhões de voto no segundo turno. Acho que estou mais preparado, mais amadurecido para fazer o Brasil voltar a crescer, criar oportunidade de emprego, aumentar a renda, melhorar a saúde e avançar muito na segurança, que é o que fizemos em São Paulo.

Recursos hídricos –

Enfrentei uma grande seca em São Paulo, em 2014, a maior dos últimos 100 anos, então estou muito por dentro do problema das águas e dos recursos hídricos. Nós emprestamos equipamentos da Sabesp ao eixo norte do São Francisco. Vamos nos dedicar muito na recuperação das águas e do Rio São Francisco. Tenho conversado com Guilherme Coelho para a gente recuperar esse rio, recompor matas, fazer tratamento de esgotos, para ampliar a irrigação, inclusive o Canal do Sertão que vai gerar muitos empregos.

Nordeste –

Ainda não conheço em detalhes todo o projeto, mas vou me aprofundar. Os outros governos não fizeram esse canal por falta de recursos. O Brasil entrou numa crise econômica gravíssima, o governo perdeu sua capacidade de investimento e ainda gasta mais do que arrecada. Por isso tenho destacado que a economia precisa voltar a crescer e para isso o Nordeste precisa voltar a crescer. Quero ser o presidente do Nordeste porque essa é a região que mais rapidamente responde aos investimentos públicos e privados. O Canal do Sertão é uma obra estratégica, vou me empenhar para tirar esse projeto do papel.

O vice –

O vice é natural que seja de outro partido e de outra região. Como sou de São Paulo é natural que o vice seja, se possível, do Nordeste. Já temos 5 partidos na aliança mas vamos crescer mais e vou trabalhar muito para que isso aconteça.

Eleição em Pernambuco –

Guilherme Coelho seria uma escolha muito acertada (para compor a chapa como vice ao governo de Pernambuco). Como Armando Monteiro é mais da Região Metropolitana, Guilherme compõe regionalmente a chapa. Ele tem todas as condições para oferecer boa proposta pelo desenvolvimento do Estado que é o que interessa. A gente entra na política para melhorar a vida das pessoas. Essa é nossa tarefa, enxergar as pessoas, sentir seus problemas e trabalhar para melhorar a vida delas. É muito grave a crise atual, estamos com 13 milhões de desempregados e eu quero rapidamente, como fiz em São Paulo, reverter isso. Quero ser o presidente da criança e da mamãe. Vou me dedicar muito à educação básica, especialmente a educação infantil.

Segurança –

Em São Paulo, tínhamos 13 mil homicídios em 2001, reduzimos para 3.503 no ano passado. São vidas de famílias mais pobres sendo salvas. Armas e drogas entram pelas fronteiras. Eu pretendo criar uma Agência Nacional de Inteligência, unindo a inteligência das Forças Armadas, da Polícia Federal, dos Estados e ter uma ação diplomática com os países vizinhos que são grandes produtores de drogas no sentido de evitar a entrada de drogas no Brasil. Por outro lado, vou criar a Guarda Nacional para enfrentar o crime organizado.

Alianças –

A lei mudou, a campanha só começa em agosto, ficou uma campanha mais curta, não é ruim, acho bom. Então, por ora, estamos costurando as alianças e percorrendo o Brasil, ouvindo as pessoas com humildade, aprendendo sobre nosso país para que a gente, sendo eleito, rapidamente retome o crescimento da economia brasileira.

Simplificação de impostos –

Nós temos um sistema tributário muito complexo, com muitos impostos, muito caro e com alta sonegação. Nossa proposta é simplificar esse modelo. Impostos como IPI, ICMS, ISS, PIS e Cofins serão unidos em um imposto só que é o IVA (Imposto de Valor Agregado). Esse será um imposto que se paga no consumo, não na origem. Então o grande beneficiado será o Nordeste porque é a região com 54 milhões de pessoas, a transferência será maior. Essa é uma das reformas essenciais para a retomada da economia.

Investir para crescer –

Infelizmente há muitas obras paradas no Brasil inteiro ou em ritmo muito lento porque a crise levou os recursos. Nossa prioridade será concluir essas obras. Por isso insisto na questão de que precisamos trazer investimento para o Brasil. Agora, para ter crescimento tem de ter investimento, para ter investimento tem de ter confiança. A economia é um pouco como a psicologia, se você acredita que vai no rumo certo, a economia cresce mais. Então vamos trazer investimento privado. Eu quero um canteiro de obras no Brasil porque isso gera muito emprego. Tudo que envolve infraestrutura gera muito emprego e esse é meu objetivo.

Reforma Política –

Entre as reformas que pretendo fazer logo no início do ano está a política com voto distrital misto. Nós precisamos aproximar o eleitor de seu governante. A campanha fica mais barata, as regiões se fazem representadas e participam mais. E vamos acabar com essa história de 35 partidos. Nós não temos 35 ideologias. São pequenas empresas mantidas com dinheiro público, isso não faz sentido. Eu quero ser presidente para mudar o Brasil. Não é possível a gente piorar como pioramos nos últimos oito anos.

Governo Michel Temer –

Ele herdou um quadro gravíssimo, com a economia em recessão. Agora o problema do presidente Temer é que ele não foi eleito. O voto popular é que dá força. Quem for eleito terá quase 60 milhões de votos, isso dá uma legitimidade muito grande ao novo presidente e ele precisará, rapidamente, fazer as mudanças para o Brasil ser mais justo, menos desigual. Fazer as reformas importantes para a economia se fortalecer. Tenho certeza de que com a campanha em agosto vamos poder falar para a população, levar esperança para a população.

Lava Jato –

Apoio totalmente. É nosso dever fortalecer as instituições. Dou todo apoio à Lava Jato, às investigações e à punição dos que forem culpados. É assim que funciona a democracia, cada um faz sua parte. O Judiciário, o Ministério Público tem de ter toda liberdade para fazer seu trabalho. Precisamos acabar com a impunidade no chamado crime do colarinho branco. A lei é para todos. Todo apoio à Lava Jato e à transparência no governo. O melhor desinfetante é a luz do sol. Falar a verdade e ser absolutamente transparente. Em meus 40 anos de vida pública, praticamente não tenho patrimônio. Ele é igualzinho ao de três décadas atrás, da minha família. Para mim a política é servir.

 


X
28/06/2018
Charges