Anastasia mostra suas propostas para profissionais da saúde e se compromete a normalizar os repasses para a área

Saúde - 23/10/2018

O candidato ao governo do Estado pela Coligação Reconstruir Minas, Antonio Anastasia, apresentou suas propostas para a saúde pública aos profissionais da área, nesta segunda-feira (22/10), no Sindicato dos Médicos do Estado de Minas Gerais (Sinmed-MG). Durante a sabatina, Anastasia reafirmou seu compromisso com a normalização dos repasses constitucionais para funcionamento dos serviços públicos, além de apontar as diferenças do seu plano de governo que prevê o fortalecimento das políticas públicas e de seu adversário, que quer entregar a saúde para a iniciativa privada.

“A nossa proposta para a saúde pública passa, evidentemente, pelo fortalecimento das instituições e a primeira dificuldade que temos é que as prefeituras não estão recebendo as verbas devidas. O SUS é montado sobre a ideia de uma Federação solidária, de três entidades federadas sustentando esse edifício. Se do dia para a noite uma das partes retira os seus recursos, evidentemente, o município, responsável pela maior parte da execução do serviço da saúde, fica em situação de calamidade”, evidenciou.

Para Anastasia, a saúde é uma demanda infinita, pois quanto mais se investe, mais necessidade há de se investir. Ele destacou ainda que o próximo governador precisa ter a sensibilidade e o conhecimento para cumprir com essa obrigação constitucional. “A saúde, como eu disse ao nosso adversário no último debate, de acordo com a Constituição Federal, o Artigo 196, é direito de todos e dever do Estado. Então a primeira responsabilidade do Estado, do poder público, é a área da saúde”.

Após o restabelecimento do fluxo normal de repasses de recursos, Anastasia garantiu que irá atuar para resolver gargalos importantes como a finalização dos hospitais regionais. “A conclusão dos hospitais regionais tornou-se um emblema. São valores expressivos que têm que ser feitos. Depois de finalizados, é uma meta conseguirmos, através de consórcios com as prefeituras, o seu custeio, podendo contar, eventualmente, com o setor privado por meio de organizações da sociedade civil. O que é muito distinto da proposta de meu adversário da compra de seguros individuais pelo Estado passando isso ao cidadão”, comparou Antonio Anastasia.

*Da assessoria

Temas relacionados:

X
23/10/2018
Charges