Anastasia reafirma seu compromisso com a valorização e o respeito ao serviço público

Notícias - 19/10/2018
Foto: Hugo Cordeiro

O candidato ao governo do Estado pela Coligação Reconstruir Minas, Antonio Anastasia, participou nesta sexta-feira (19/10) de debate com representantes dos servidores estaduais na Associação dos Funcionários Fiscais do Estado de Minas Gerais, em Belo Horizonte. Durante a conversa, Anastasia respondeu questionamentos sobre suas propostas para, se eleito, devolver a dignidade ao funcionalismo público estadual.

“Os servidores públicos do Estado estão passando uma das mais graves crises da sua história. Parcelamento de salários, Ipsemg com dificuldades, falta de pagamento dos empréstimos que eles pagam e o governo está recolhendo. Então nós temos que fazer um trabalho de muita parceria com os sindicatos dos servidores para, ganhando as eleições, restabelecer a condição de normalidade para a categoria”, afirmou.

Anastasia destacou que as prioridades serão regularizar o atendimento pelo Instituto de Previdência dos Servidores do Estado de Minas Gerais (Ipsemg) e devolver ao funcionalismo público e às suas famílias a tranquilidade do pagamento no quinto dia útil, sem escala e sem atrasos. “Sabemos que não será com um passe de mágica, mas o objetivo é voltar a essa normalidade. E num segundo momento, depois do reequilíbrio das contas, aí sim discutiremos as novas reivindicações que existem e que são referentes a eventuais reajustes e reformas de carreira”, afirmou.

A visão de Anastasia sobre como o Estado deve dialogar com os servidores públicos de Minas Gerais, peças fundamentais para que o Estado cumpra sua responsabilidade com os cidadãos, diverge das ideias apresentadas pelo seu concorrente. O outro candidato tem demonstrado desconhecer as carreiras do Estado, as funções, os direitos adquiridos pelas diversas categorias e declinou do convite da instituição para apresentar, também nesta sexta-feira, suas propostas para o conjunto dos servidores.

O candidato da reconstrução de Minas falou ainda que o diálogo será a linha condutora para que Estado e funcionalismo enfrentem juntos o momento crítico financeiro. “Realizaremos um acordo amplo com diversas forças sociais, incluindo os sindicatos dos servidores, empresários e lideranças da sociedade civil, para identificar as prioridades de Minas. Nós todos, de maneira harmônica, vamos identificar as prioridades para colocar Minas Gerais novamente em ordem, conseguir aumentar a receita do Estado, aumentar empregos, possibilitando que o estado volte a crescer”.

Outro ponto nevrálgico que merece atenção e sensibilidade do próximo governador, como apontado por Anastasia, é a situação do Ipsemg. “O Ipsemg tem papel fundamental na prestação de serviço de saúde aos servidores. Está praticamente paralisado, pois os convênios do interior foram suspensos. Não tem hospital, não tem clínica, não tem nada e nós sabemos que a saúde não pode esperar. Dentre tantas prioridades, a regularização do funcionamento normal do Ipsemg é uma prioridade muito grande”.

X
19/10/2018
Charges