Arthur Neto quer proibir a construção de presídios no perímetro urbano de Manaus

Segundo o prefeito, objetivo da medida é garantir a segurança dos cidadãos da capital amazonense

Imprensa - 10/01/2017

Arthur Virgilio Foto George Gianni PSDBBrasília (DF) – O prefeito de Manaus (AM), Arthur Virgílio Neto (PSDB), vai apresentar um projeto de lei da prefeitura, que será encaminhado em regime de urgência para a Câmara Municipal de Manaus (CMM), que proíbe a construção e instalação de novos presídios no perímetro urbano da capital amazonense. As informações são de coluna publicada nesta terça-feira (10) pelo jornal O Estado de S. Paulo.

Segundo nota do prefeito, divulgada pela Secretaria Municipal de Comunicação (Secom) de Manaus, o objetivo da medida é garantir a segurança dos cidadãos manauaras.

“Vamos mexer no Plano Diretor para proibir que novos presídios sejam construídos dentro do perímetro urbano de Manaus pela simples razão de garantir a segurança do povo que eu governo, porque numa situação de fuga, como a ocorrida, até que esses bandidos cheguem à capital terão que enfrentar muitas barreiras”, destacou Arthur Neto.

O tucano também avaliou como “inadequada” a transferência de presos para a Cadeia Pública Raimundo Vidal Pessoa, no Centro de Manaus, que já havia sido desativada. “Aquilo é mais uma peça histórica, que poderia até virar um Museu da Polícia, qualquer coisa, menos um presídio”, considerou.

Após a violenta rebelião no Complexo Penitenciário Anísio Jobim (Compaj), em Manaus, que resultou na morte de 56 presos, 286 detentos foram temporariamente transferidos para a Cadeia Pública Raimundo Vidal Pessoa, localizada em uma das principais avenidas da capital amazonense. A medida do governo do estado, no entanto, surtiu pouco efeito. Conflitos entre os internos acabaram nas mortes de outros quatro detentos, no último domingo (08).

Leia AQUI a íntegra da coluna do jornal O Estado de S. Paulo.

X
10/01/2017
Charges