Autorizada abertura de CPI para investigar contratos do BNDES

Notícias - 26/02/2019
Foto: Alexssandro Loyola

A Câmara autorizou a instalação da Comissão Parlamentar de Inquérito (CPI) para investigar os empréstimos do Banco Nacional de Desenvolvimento Social (BNDES), proposta pelo deputado Vanderlei Macris (SP). Com a autorização, os líderes partidários já podem fazer a indicação dos deputados para compor o colegiado.

A comissão terá, inicialmente, 120 dias para realizar os trabalhos e vai se debruçar na investigação dos contratos firmados na gestão petista entre 2003 e 2015. Os acordos internacionais com Cuba, República Dominicana, Gana, Angola, Equador e Venezuela devem receber atenção especial. “Bilhões de reais foram aplicados em operações nesses países em detrimento de investimentos no nosso país”, destaca o parlamentar.

Macris afirma que a investigação atende o clamor da população por transparência com o dinheiro público e que a comissão de inquérito vai abrir a caixa-preta do BNDES.  “Esse é o nosso papel. Por meio da nossa representação legislativa, oferecer ao povo brasileiro acesso à prestação de contas dos bilhões de reais destinados em empréstimos secretos a outros países pelo BNDES, tudo isso enquanto o Brasil precisava de investimentos em educação, saúde e tantas áreas”.

Para Macris, a comissão será fundamental para trazer à luz as os detalhes das transações internacionais do banco. O pedido de criação da CPI diz que o colegiado deverá investigar a prática de atos ilícitos e irregulares no âmbito do BNDES ocorridas entre 2003 e 2015 e relacionados à internacionalização de empresas brasileiras e, em especial, a alteração, por decreto do ex-presidente Lula, do estatuto do banco para possibilitar que a entidade financiasse a aquisição de ativos e investimentos realizados por empresas de capital nacional no exterior.

“Todos os documentos sobre essas transações foram classificados como secretos e só poderiam ser examinados daqui a oito anos. Por que estabelecer sigilo a esses contratos? Portanto, a única possibilidade de acesso às informações é via CPI”.

Macris ainda ressalta que muitas das empresas beneficiadas pelo BNDES nos acordos internacionais são investigadas na Operação Lava Jato.

Temas relacionados:


X
26/02/2019
Charges