Campanha presidencial do PT teve gastos de R$ 8 mi com empresas ligadas a Lava Jato

Notícias - 04/10/2018
Wilson Dias/EBC

O Partido dos Trabalhadores (PT) gastou quase R$ 8 milhões na campanha presidencial do partido com empresas ligadas a Operação Lava Jato. A campanha do ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva – que foi indeferida – somatizou despesas no valor de R$ 4,9 milhões para locação de equipamentos para gravação de programas. Já Fernando Haddad gastou mais de R$ 2,1 milhões. Além disso, a campanha petista também gastou R$ 741 mil na compra de panfletos. Todos os gastos foram com empresas citadas na Lava Jato.

Para a locação de equipamentos para gravação de programas, a campanha de Lula investiu na empresa Rentalcine, que tem como sócios um réu na Lava Jato e um delator relacionado à Odebrecht no Peru. A despesa referente a campanha de Haddad foi com a mesma empresa.

Outro gasto envolvendo empresas com conexão com a operação foi referente a gráfica Braspor. A firma apareceu na Lava Jato por repasse de dinheiro para empresa fantasma pertencente ao ex-deputado federal André Vargas que, à época, fazia parte do PT.

A Braspor chegou a atuar em campanhas passadas de petistas, se envolvendo em um problema relacionado a campanha da ex-presidente Dilma Rousseff. A gráfica afirmou que realizou prestações de serviços pelos quais nunca recebeu. De acordo com o partido, esses gastos, no valor de R$ 350 mil de acordo com a Braspor, nunca ocorreram.

Rentalcine

Sócio da Rentalcine, Giovane Favieri é réu na Lava Jato por lavagem de dinheiro. Conforme consta na acusação, em 2004, o Banco Schahin firmou um contrato fraudulento de empréstimo de R$ 12 milhões com o pecuarista José Carlos Bumlai.

De acordo com os procuradores da Lava Jato o dinheiro tinha como destino o PT e teria sido pago de forma ilegal após uma das empresas do Grupo Schahin fechar com a Petrobras um contrato de R$ 1,6 bilhão.

Outro sócio da empresa, Valdemir Garreta é colaborador de autoridades peruanas em investigação de caixa 2.

Para o prefeito de Ribeirão Preto Duarte Nogueira, o fato é gravíssimo e deve ser apurado para provar a culpabilidade do uso de dinheiro público para campanha eleitoral. “A questão escancara ainda mais a irresponsabilidade e a desonestidade do PT para com as instituições e para com a sociedade brasileira como um todo”, analisa.

Ana Clara Arantes, estagiária sob supervisão

X
04/10/2018
Charges