Carta de Dilma a senadores é “teatro político”, diz tucano

A carta que define a independência da Polícia Federal é a Constituição, destacou deputado Fábio Sousa

Imprensa - 15/08/2016

fabio sousa foto divulgacaoReportagem publicada pela Folha de S. Paulo nesta segunda-feira (15) diz que a presidente afastada Dilma Rousseff prometerá, em uma carta que será entregue aos senadores que avaliam o processo do impeachment, “assegurar a independência da Polícia Federal” e “não indicar para membro de sua equipe condenados por corrupção”. O texto e as promessas da petista foram chamados de “teatro político” pelo deputado federal Fábio Sousa (PSDB-GO).

“Dilma precisa entender que já existe uma carta que assegura a independência da Polícia Federal. Chama-se Carta Magna. Chama-se Constituição Federal. Ela não precisa escrever carta ao Temer, aos senadores ou a quem quer que seja. Essa carta já existe e foi escrita em 1988. O que ela está fazendo é proselitismo político”, disse.

Sobre a suposta promessa de Dilma não contratar condenados por corrupção, o deputado tucano acredita ser muito tarde para a presidente afastada adotar o discurso. “Se ela realmente fizer esta afirmação na carta, isso seria desrespeitar a inteligência do brasileiro. Ela ficou seis anos no poder, seis anos com gente envolvida em corrupção, seis anos com gente sendo processada, e agora vai falar um negócio desse? E o José Dirceu? E o Vaccari? E todos do mensalão? Nenhum brasileiro se interessa mais por carta nenhuma dela. Dilma é página virada na história deste país”, afirmou.

Segundo a matéria da Folha, a correspondência está sendo constantemente revisada pela petista e teve o adiamento de sua publicação criticado até pelos congressistas do PT. De acordo com o depoimento de aliados, Dilma pretende continuar chamando o impeachment de “golpe”, a falar em nova eleição presidencial e em reforma política. A expectativa é que a carta seja entregue nos próximos dias.

 


X
15/08/2016
Charges