Com apoio de tucanos, Senado aprova Alexandre de Moraes para vaga de ministro no STF

Notícias - 22/02/2017

Com o apoio da bancada do PSDB do Senado, a indicação de Alexandre de Moraes para a vaga de ministro do Supremo Tribunal Federal (STF) foi aprovada pelo plenário da Casa, nesta quarta-feira. Um total de 55 senadores votaram a favor, e apenas 13 contra. Moraes assumirá a vaga deixada por Teori Zavascki, morto em um acidente aéreo em janeiro deste ano. Para o senador Antonio Anastasia (PSDB-MG) a ampla folga no placar da votação certifica os méritos de Moraes.

“O ministro Alexandre de Moraes é um jurista preparado, reconhecido nacionalmente, grande experiência no setor público, ocupando cargos de destaque, notório conhecimento jurídico e reputação ilibada. Ou seja, com todas as condições para exercer o cargo. Fez uma bela sabatina na data de ontem, e o resultado com larga folga não foi uma surpresa. Pelo contrário, é o reconhecimento de seus méritos”, disse.

A decisão dos senadores foi também elogiada pelo líder do PSDB na Câmara, deputado federal Ricardo Trípoli (SP). “A aprovação pelo Senado do nome Alexandre de Moraes para o STF comprova que o presidente Michel Temer acertou quando o indicou tanto para o Ministério da Justiça como para a Suprema Corte. Moraes demonstrou, durante sua sabatina na CCJ, sua irretocável cultura jurídica e vasta experiência, reconhecidas no meio em que atua”, disse o tucano, em nota.

Coerência
O senador Aloysio Nunes, do PSDB de São Paulo, destaca que a performance de Alexandre de Moraes na extensa sabatina, a qual foi submetido nessa terça-feira, na Comissão de Constituição e Justiça do Senado, fortaleceu suas atribuições e sua competência para assumir o cargo. Na situação, Moraes abordou diversos temas, como delações premiadas, Operação Lava-Jato, união homoafetiva e pena para jovens que cometem crime hediondo.

“A oposição e a situação questionaram o ministro sobre todos os assuntos polêmicos que foram levantados, e ele afirmou a sua competência, o seu profundo conhecimento jurídico, a sua visão dos problemas importantes que serão submetidos ao Supremo, a sua capacidade de entender um dos dramas mais sentidos do povo brasileiro hoje, que é o drama da segurança pública”, disse.

A nomeação do novo ministro será assinada pelo presidente Michel Temer, que o indicou ao cargo. Depois disso, a Corte deve marcar uma data para a cerimônia de posse.

X
22/02/2017
Charges