Notícias- 14/07/2017

Com desemprego em alta, brasileiro corta itens da lista de compras

Com o desemprego em alta – e a crise econômica instalada em todas as regiões do país após 13 anos de governos do PT -, o brasileiro vem suspendendo vários itens de supermercado nas compras domésticas. Os mais cortados foram fraldas descartáveis, com redução de 28%, e os laticínios. A mudança de hábitos no Brasil foi observada entre abril de 2016 e abril de 2017, segundo estudo de uma consultoria multinacional, divulgado neste mês.

Para o deputado federal Izalci Lucas (PSDB-DF), o país já desponta uma melhora da economia, mas há ainda grandes reflexos da instabilidade gerada pelos governos petistas.

“É a recessão, né? Começam a sinalizar uma melhora, mas há ainda está longe. A crise foi muito alta para conseguir destruir o país. A economia, a inflação chegando a dois dígitos. Agora que está começando a sinalizar [a retomada da economia]”, disse o tucano.

A pesquisa foi feita através de visitas semanais em mais de 11 mil casas brasileiras – que representam por amostragem um universo de 53 milhões de domicílios. O levantamento também mostra que a população tem comprado menos produtos e com menor frequência. Izalci Lucas explica que a equipe econômica do governo vem trabalhando em prol do Brasil, deixando as questões políticas de lado.

“Caiu muito o poder [de compra]. É muito difícil. É evidente que a equipe econômica está tentando segurar e desvincular a questão política da questão econômica.”

A população também aumentou o consumo das tradicionais cestas básicas. De acordo com a pesquisa, a adoção de compras dessa categoria teve um crescimento significativo desde 2015. A alta média em número de unidades adquiridas foi de 2,8% somente no último ano.

X
25/07/2017