Notícias- 25/09/2009

Crise em Honduras: Azeredo diz que governo brasileiro precisa agir rápido

Brasília (25) – O presidente da Comissão de Relações Exteriores do Senado, Eduardo Azeredo (MG), disse ser fundamental que o Brasil defina as regras de asilo que devem ser seguidas pelo presidente deposto de Honduras, Manuel Zelaya, que ocupa a embaixada brasileira na capital hondurenha.

“O governo brasileiro precisa colocar as regras de asilo, que são regras internacionais, e que não permitiriam que Zelaya usasse a embaixada como palanque para fazer política. Isso é fundamental.”, afirmou.

Inicialmente a favor do asilo, Azeredo salientou que está havendo uma confusão com o que pode ser chamado de “abrigo”. E isso precisa ser estabelecido, segundo ele, começando pela evacuação dos militantes que ocuparam a embaixada junto com Zelaya.

“Eles precisam sair de lá”, disse o senador destacando que o asilo deve ser concedido apenas para o presidente deposto e sua família. Para Azeredo, não faz o menor sentido que os defensores de Zelaya continuem na embaixada e também fazendo manifestações.

Sobre a nota da diplomacia hondurenha acusando o governo do presidente Lula de interferir nos assuntos internos daquele País, o senador afirmou que o governo brasileiro acertou ao condenar o golpe mas a forma como conduziu o assunto depois – no caso, abrigando Zelaya e mais dezenas de seguidores na embaixada -, o Brasil perdeu a sua condição de liderar qualquer negociação entre o presidente deposto e Roberto Micheletti, que assumiu o governo hondurenho a partir de um golpe.

 

X
18/07/2017