Bauer mantém alerta sobre corte de investimentos nas rodovias federais de SC

Notícias - 03/07/2018

O Congresso Nacional deve retomar, nesta terça-feira (03/07), a análise de dois vetos feitos pelo presidente Michel Temer em projetos recentemente aprovados pelo Congresso Nacional. Na sessão deve ser retomada também a votação do PLN (Projeto de Lei do Congresso Nacional) que prevê a retirada de R$ 146,2 milhões para investimentos nas rodovias de Santa Catarina. A intenção do governo federal tem posição contrária do senador Paulo Bauer (PSDB/SC). Na última quinta-feira (28/06), o parlamentar visitou as obras da BR-280, em Jaraguá do Sul e Guaramirim, um dos trechos que serão prejudicados caso a matéria seja aprovada.

Bauer alertou a bancada catarinense e convocou os demais senadores e deputados federais para uma mobilização contrária ao PLN durante a sessão do Congresso na semana passada. Em função da falta de quórum, a votação não ocorreu.

Durante a sua visita às obras do túnel que liga os bairros João Pessoa e Amizade, em Jaraguá do Sul, Bauer constatou que ainda falta muito para a finalização da infraestrutura.

“Faltam 100 metros de cada lado para que o túnel esteja totalmente aberto. Se o PLN for aprovado no Congresso, a interrupção dos trabalhos é consequência imediata”, argumentou Bauer.

A intenção do governo federal é transferir R$ 544,6 milhões para os setores de saúde e educação, em verbas direcionadas para todos os estados.

“São áreas que exigem investimentos urgentes, sempre. Mas Santa Catarina não pode ser penalizada, pois há anos esperamos a ação do governo federal para acabar com o caos nas rodovias que cortam nosso Estado”, disse Bauer.

A informação de que o Planalto promete repor a verba não tranquiliza o parlamentar.

“Em agosto e setembro só teremos uma semana de atividades no Congresso em função do período eleitoral. Qual certeza temos de que haverá tempo para votar essa alternativa? E, em função da proporcionalidade, outros estados têm bancadas maiores do que a de Santa Catarina. Se alguma destas unidades resolver ser contrária, jamais teremos esses recursos de volta. Por isso, precisamos nos manter mobilizados para impedir isso”, concluiu.

*Com informações da Assessoria de Comunicação

X
03/07/2018
Charges