Petistas fazem esforço permanente para manipular a opinião pública, diz vice-líder do PSDB

Notícias - 03/07/2018

O 1º vice-líder do PSDB na Câmara, deputado Betinho Gomes (PE), criticou nesta segunda-feira (2) mais uma tentativa do ex-presidente Lula de posar como vítima: desta vez o condenado a 12 anos de prisão se comparou a Tiradentes. Na opinião do tucano, o PT tenta construir um mundo paralelo, como se o petista ficha suja estivesse habilitado para concorrer nas eleições de outubro.

“Ele está preso e tem que dar satisfação à Justiça”, disse Betinho. “Fazem um esforço permanente de tentar manipular a opinião pública e ludibriar as pessoas apenas para fazer frente a uma tática eleitoral que eles montaram”, completou o tucano. Para ele, a intenção desse movimento é reunir apoiadores em torno de um projeto que não vai se confirmar pra depois a legenda apresentar o nome verdadeiro do candidato.

Para Betinho Gomes, é importante ter em mente que a crise que o Brasil vive hoje é de responsabilidade direta do PT. “Foi no governo petista que a crise foi produzida. O que o país vive hoje ainda é consequência desses malefícios”, reiterou.

O vice-líder tucano afirma ainda que é preciso superar esse debate fraudulento que o PT tenta empreender e mostrar a realidade de que é grave crise é responsabilidade do PT. “Posar de vítima é uma técnica que está sendo usada pelo PT há vários anos”, reprovou. Para ele, o PSDB tem a tarefa cívica de mostrar os caminhos pra sair desse ambiente de dificuldade que o país ainda vive.

A postura do PT e de Lula são ruins, pois maculam o debate político na medida em que há pesquisas sendo feitas com um candidato que não vai estar nas urnas. Além disso, confirma a máxima de que o PT vive de narrativas e, por isso repete essa estória da candidatura à exaustão para poder manter a base política eleitoral unificada.

Lembrando que o ex-presidente Lula já foi condenado pelo juiz Sérgio Moro, recorreu e perdeu na segunda instância, onde ainda teve a pena aumentada para 12 anos e 1 mês de reclusão pelos crimes de corrupção passiva e lavagem de dinheiro. Mais recentemente, o STF negou o pedido de que ele fosse libertado e houvesse um novo julgamento.

Pelas redes sociais, o deputado Carlos Sampaio (SP) disse que a “justiça foi feita”, se referindo a negativa de que o ex-presidente pudesse ser julgado pela 2ª turma e aguardasse a decisão em liberdade. A defesa do petista pedia o efeito suspensivo de sua condenação, ou seja, que ele ficasse livre. O ministro argumentou que a reclamação não era cabível, pois não houve violação ao processo legal. “Lula continua preso e inelegível”, reiterou Carlos Sampaio.

*Do portal do PSDB na Câmara


X
03/07/2018
Charges