Defesa de Lula deveria se concentrar na comprovação de sua inocência, afirma tucano

Notícias - 02/06/2017

Brasília (DF) – Com o ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva a cada dia mais implicado nas acusações da Operação Lava Jato, a sua defesa tem recorrido a inúmeros artifícios para prolongar o processo de apurações contra o petista. Desta vez, os advogados de Lula entraram com um habeas corpus no Tribunal Regional Federal (TRF) da 4ª Região, segunda instância da Lava Jato, contra o que chamaram de ato “ilegal” do juiz federal Sergio Moro. As informações são do portal UOL Notícias.

O motivo da reclamação é o fato de Moro ter negado o pedido da defesa para que mais testemunhas fossem ouvidas no processo que investiga a ligação de Lula com o apartamento tríplex do Guarujá (SP), reformado pela empreiteira OAS. O petista é acusado de corrupção passiva e lavagem de dinheiro por ter, supostamente, recebido R$ 3,7 milhões em propina ao intermediar contratos celebrados entre a OAS e a Petrobras. Segundo o Ministério Público Federal (MPF), os valores teriam sido repassados ao ex-presidente por meio das reformas no apartamento, que seria propriedade de Lula.

Vale lembrar que esta é a segunda vez que a defesa de Lula recorre ao TRF contra uma decisão de Moro apenas nesta semana. Na terça-feira (30), os advogados do petista pediram para que provas anexadas ao caso do tríplex fossem periciadas antes do final do prazo para a apresentação das alegações finais do processo, previsto para o dia 20 de junho.

Para o deputado federal Fábio Sousa (PSDB-GO), o ex-presidente Lula e seus advogados deveriam direcionar os seus esforços para provar a inocência do petista, ao invés de persistirem na tática de prolongar o processo, atrapalhar as investigações e tentar desacreditar juízes e procuradores da força-tarefa da Lava Jato.

“Se é um questionamento do processo, é um direito deles. Agora, acredito que o ex-presidente Lula deveria se concentrar na comprovação, se é que ele tem condições para isso, da sua inocência. Ele tinha que buscar as condições para isso. Fica parecendo que ele não tem condição para provar a sua inocência, então fica tentando protelar a ação, processando promotor de Justiça, processando o próprio Sérgio Moro, mas não se concentra nos autos, nas provas. Ou é para protelar o processo, ou é para sair do cerne do processo”, apontou.

O parlamentar lembrou que a defesa de Lula tem diversificado suas estratégias para arrastar o andamento dos processos a que o petista responde na Justiça. Na ação penal que investiga suposta propina de R$ 75 milhões paga pela Odebrecht em oito contratos da Petrobras, por exemplo, os advogados arrolaram 87 testemunhas para depor a favor do ex-presidente.

“O correto seria ele [Lula] e sua defesa estarem buscando formas de comprovar a sua inocência, se é que ele tem condições para isso”, reiterou o tucano. “Até porque ele responde a diversos outros processos na Justiça, não só no âmbito da Lava Jato. É muita coisa. A verdade é que os advogados dele ainda têm muito trabalho. E me parece que terão mais ainda pela frente, com o avanço das investigações”, completou Fábio Sousa.

Leia AQUI a reportagem do UOL Notícias.


X
02/06/2017
Charges