Notícias- 17/07/2017

Efeito PT: produtividade caiu 4,8% nos últimos três anos

Pela terceira vez consecutiva, a produtividade total dos fatores (PTF) no Brasil fechou um ano em queda. Em 2016, o índice teve uma retração total de 1,9%, de acordo com cálculos feitos pela equipe do Instituto Brasileiro de Economia (Ibre) da Fundação Getulio Vargas (FGV). Somente de 2014 para cá, o PTF caiu 4,8%, em um reflexo direto dos equívocos cometidos pelo gestão da ex-presidente Dilma Rousseff na área econômica. As informações são de matéria do Valor Econômico publicada nesta segunda-feira (17).

Ouvido pelo jornal, o pesquisador do Ibre da FGV Samuel Pessôa, um dos responsáveis pelos dados, acredita que o indicador pode ter uma nova queda em 2017, mas mais moderada do que em anos anteriores. Na visão dele, a queda no PTF, uma medida de eficiência para a produção do país, se intensificou principalmente no primeiro mandato do governo Dilma, período marcado por descontrole nos gastos públicos e um grande intervencionismo estatal na economia.

Segundo a reportagem, outros economistas avaliam que a retração do PTF é explicada, principalmente, pela perda de dinamismo da indústria e o espaço maior na economia de serviços poucos sofisticados. Ambos os fatores também foram marcantes no governo Dilma, em que o país sofreu um processo de desindustrialização.

“O investimento despencou nos últimos anos, e o principal motivo foi que o país perseguiu um conjunto de políticas intervencionistas a partir de 2009 para mantê-lo o mais alto possível”, ressaltou Samuel Pêssoa. “Investiu-se em setores em que o retorno era muito baixo, o que gerou endividamento, mas não capacidade de geração de caixa nas principais empresas”, argumentou o especialista.

Pessoa também ressaltou que o período em que o PTF apresentou os melhores resultados, entre 2003 e 2010, só foi possível por conta das reformas promovidas no país durante a década de 1990, com destaque para as medidas implementadas pelo ex-presidente Fernando Henrique Cardoso, responsável por reestruturar a economia brasileira por meio do Plano Real.

Clique aqui para ler a íntegra da matéria do jornal Valor Econômico.

X
25/07/2017