Em encontro com Serra, EUA pedem que Brasil coordene mediação da crise na Venezuela

Notícias - 17/02/2017

RR_serra_fiesp_empresarios_201606203963-850x563Brasília (DF) – O secretário de Estado dos EUA, Rex Tillerson, pediu ao chanceler José Serra que o Brasil coordene os esforços dos países sul-americanos para tentar achar uma saída para a crise venezuelana. No encontro, que ocorreu entre sessões da reunião de ministros de Relações Exteriores do G20 (grupo das economias mais desenvolvidas do planeta), na Alemanha, os dois debateram investimentos em infraestrutura e uma agenda pró-negócios entre os países. As informações são do jornal Folha de S. Paulo desta sexta-feira (17).

Segundo Serra, a conversa foi “ótima”, “o começo de um começo”. Tillerson fez elogios ao papel brasileiro na mediação dos conflitos entre o governo de Nicolás Maduro e a oposição, e disse que os EUA seguirão apoiando uma solução negociada.

No campo econômico, os dois discutiram a necessidade de redução das barreiras fitossanitárias que impedem negócios entre os países. O chanceler falou em reativar uma agenda de trabalho bilateral.

Tillerson e Serra também debateram a questão de investimentos americanos em infraestrutura no Brasil, notadamente no setor de petróleo. Ex-chefe da petroleira ExxonMobil, o secretário ressaltou o alto custo que esse tipo de negócio enseja.

Brics Plus

O chanceler brasileiro também foi procurado pelo chanceler russo, Serguei Lavrov, que sugeriu a elaboração de uma agenda para ampliar o acesso de outros países aos Brics (bloco formado por Brasil, Rússia, Índia, China e África do Sul).

O “BRICS Plus”, como a associação vem sendo apelidada nos círculos diplomáticos, ainda não tem uma formatação sobre como funcionaria ou quais países seriam candidatos naturais. “Por ora, nós concordamos que é importante fortalecer alianças regionais, não só no plano econômico”, afirmou Serra.

X
17/02/2017
Charges