Em Manaus, Fórum das Cidades Amazônicas debate desenvolvimento urbano e preservação da floresta

Notícias - 05/09/2019

“Durante dois dias seremos a capital da Amazônia para nortear grandes líderes políticos de como unir desenvolvimento urbano sustentável a uma preservação real da Floresta Amazônica”, defende o prefeito de Manaus, Arthur Virgílio Neto. Nos dias 05 e 06 de setembro, a capital amazonense será sede do 1º Fórum de Cidades Amazônicas, promovido com apoio da Fundação Konrad Adenaeur e Iclei América do Sul.

“Nesta quinta-feira, 5 de setembro, é o Dia da Amazônia e teremos em Manaus representantes dos municípios que compõem esse importante bioma para fazermos uma bela reunião internacional e produzir um manifesto em defesa da Amazônia”, ressaltou Virgílio, que faz palestra sobre “Desenvolvimento nas Cidades Amazônicas”.

“A ficha do mundo caiu e a ficha do Brasil precisa cair. A Amazônia é a região mais importante do Brasil e é uma das mais estratégicas do mundo, isso tem que ficar claro. Esse simpósio é um ponto de partida para nós fazermos uma grande campanha de alcance mundial. E gostaria muito que a ONU fizesse do 5 de setembro o Dia Internacional da Amazônia”, afirmou Arthur Neto durante sua palestra no Fórum.

Desde 2016, as ações de arborização na cidade de Manaus, desenvolvidas por meio da Secretaria Municipal de Meio Ambiente e Sustentabilidade (Semmas), conseguiram plantar 34,7 mil mudas de árvores – um recorde para o país – que estão em crescimento, distribuídas em 114 logradouros públicos.

Além disso, Manaus é uma cidade que tem áreas de florestas preservadas e fragmentos verdes no meio da cidade, que contribuem para a prestação dos serviços ambientais à área urbana. Pelo menos 4,75% do território de Manaus correspondem a áreas protegidas, geridas pela Semmas.

O Fórum
O fórum vai contar ainda com painéis sobre economia, desenvolvimento urbano, sustentabilidade da floresta e cooperação regional descentralizada. O principal intuito do evento é elaborar um “Manifesto de Cidades Amazônicas”, como manual de responsabilidade sustentável, às vésperas da 25ª Conferência Mundial do Clima, a COP 25, que acontece em dezembro deste ano, na cidade de Santiago do Chile.

O evento reúne representantes de organizações nacionais e internacionais, a exemplo da Embaixada da Noruega e do governo da Alemanha. O “Cidades Amazônicas” vai possibilitar o intercâmbio e conexões de iniciativas das principais capitais do bioma amazônico, debatendo os direcionamentos de urbanização da região, os impactos da revolução industrial sustentável, a soberania territorial e análise de cases de instituições que exercem o desenvolvimento de maneira inteligente.

(*) Da Ascom – Prefeitura de Manaus


X
05/09/2019
Charges