Fábio Sousa propõe CPI para investigar falta de tratamento de câncer pelo SUS

Saúde - 22/03/2017

A falta de tratamento contra o câncer pelo Sistema Único de Saúde (SUS) e as denúncias de desvios de recursos na área motivaram o deputado federal Fábio Sousa (PSDB-GO) a propor a instalação de uma Comissão Parlamentar de Inquérito (CPI) na Câmara Federal para investigar o tema. De acordo com informações apresentadas pelo próprio deputado, a cada 10 brasileiros que procuram terapia contra a doença pelo SUS, quatro não são atendidos.

O tucano também expõe a situação de diversos estados brasileiros, que não possuem sequer um equipamento de quimioterapia ou radioterapia, enquanto outros mantêm os seus encaixotados por meses. A dificuldade enfrentada pelos pacientes que dependem do SUS, segundo o parlamentar, é generalizada.

“Nós temos uma lei aprovada neste parlamento, já sancionada pela presidente deposta, que determina que uma pessoa que é diagnosticada com câncer deve começar o tratamento em 60 dias pelo SUS. É uma lei ótima, mas que não é aplicada. Nós temos estados no Brasil onde não há uma máquina. No estado de Roraima não tem um equipamento de radioterapia pelo Sistema Único de Saúde. O Brasil inteiro, Norte e Nordeste, são as regiões que mais sofrem. O interior de São Paulo, onde você tem hospitais famosos no combate ao câncer, há cidades onde não tem maquinário, tratamento e profissional disponíveis.”

Fábio Sousa alerta que a agilidade no diagnóstico e tratamento do câncer é fundamental para a sobrevivência do paciente, mas que a velocidade na qual o SUS disponibiliza os recursos necessários aos enfermos faz com que a doença seja uma sentença de morte. Ele acredita que, com a investigação aprofundada do sistema por meio da CPI, poderá identificar as causas da precariedade e propor soluções para melhorar a qualidade do tratamento.

“Eu acho que, basicamente, a minha ideia é investigar as denúncias que estão sendo feitas, porque os recursos e o maquinário não estão chegando, identificar se é corrupção ou negligência e, por fim, propor, pois não podemos ser somente policialescos aqui. Nós temos que ter uma iniciativa. Qual a proposta que o parlamento vai fazer para que isso não volte a acontecer e as pessoas, através do SUS, possam se tratar”, afirmou.

Em discurso no plenário da Câmara, o deputado ressaltou que esses problemas não são recentes, e que atravessaram inúmeros governos. Por isso, o tucano espera o apoio de todos os partidos na Casa para a instalar a comissão.


X
22/03/2017
Charges