Notícias - 16/06/2017

FHC pede que partidos pensem no Brasil em meio à crise

Em nota divulgada nesta quinta-feira (15), o ex-presidente Fernando Henrique Cardoso (PSDB) afirmou que a gravidade da atual situação política do Brasil exige que o futuro do país seja discutido sem caráter “partidário”. FHC disse que cabe ao presidente Michel Temer avaliar as condições de sua permanência no cargo, mas que uma eventual piora no cenário político pode levar o país à convocação de eleições gerais.

“A ordem vigente é legal e constitucional [daí o ter mencionado como “golpe” uma antecipação eleitoral], mas não havendo aceitação generalizada de sua validade, ou há um gesto de grandeza por parte de quem legalmente detém o poder pedindo antecipação de eleições gerais, ou o poder se erode de tal forma que as ruas pedirão a ruptura da regra vigente exigindo antecipação do voto”, afirmou o tucano.

Na nota, Fernando Henrique também afirma que não vê condições de o PSDB permanecer na base de apoio do governo federal caso ocorram tentativas de barrar as investigações em curso – na Operação Lava Jato. “Preferiria atravessar a pinguela, mas se ela continuar quebrando será melhor atravessar o rio a nado e devolver a legitimação da ordem à soberania popular”, disse o tucano.

Fernando Henrique deixa claro, na nota, que essa é sua posição pessoal. E que os partidos políticos devem pensar no Brasil, nas suas condições econômicas e nos 14 milhões de desempregados ao decidirem os rumos que vão seguir.

A nota de Fernando Henrique foi enviada à Agência Lupa e reproduzida nesta quinta por diversos jornais do país.

Leia aqui a reportagem do jornal O Globo com a íntegra da nota de FHC.

X
18/08/2017
Charges