Geraldo apresenta notícia crime contra fraude com e-mails da Caixa e Petrobras

Tucano quer combater mensagens inverídicas na internet

Notícias - 04/08/2006

Brasília (4 de agosto) – A coligação Por um Brasil Decente e o candidato Geraldo Alckmin apresentaram, na noite desta sexta-feira, notícia crime junto ao Ministério Público Eleitoral (MPE) para que apure se Rosa Schlickmann e Cid Alves Vieira cometeram crime eleitoral ao distribuírem pela internet mensagens inverídicas sobre o candidato à Presidência da República Geraldo Alckmin. O texto veiculado afirmava que o candidato tucano teria se aposentado como anistiado político ao 42 anos, o que não corresponde à verdade. O suposto autor da mensagem seria o colunista Cláudio Humberto.

As mensagens foram distribuídas utilizando e-mails da Caixa Econômica Federal e da Petrobrás. O jornalista Cláudio Humberto desmentiu a autoria e esclareceu que, na realidade, “militantes petistas praticaram uma fraude” e substituíram o nome de Lula pelo de Alckmin em uma nota publicada em janeiro de 2004. A nota relatava que Lula obteve aposentaria precoce e recebia R$ 4.294,00 por mês, isentos de impostos.

Os advogados da coligação requisitaram instauração de inquérito policial para a apuração dos fatos e pedem providências quanto ao descumprimento da legislação eleitoral. De acordo com o artigo 323 do Código Eleitoral, divulgar fatos que se sabe inverídicos em relação a partidos ou candidatos e capazes de exercer influência perante o eleitor acarreta pena de detenção de dois meses a um ano ou pagamento de multa.

         

X
04/08/2006
Charges