Governo de SP realiza Missão China para ampliar cooperação e atrair investimentos

Notícias - 05/08/2019
O governador de São Paulo, João Doria, lidera a Missão China

O governador de São Paulo, João Doria desembarcou nesta segunda-feira (05/08) em Pequim, liderando a Missão China – a quarta missão empresarial do estado no mercado externo desde o início de sua gestão, em janeiro deste ano. Representantes de 35 empresas brasileiras compõem o grupo, com objetivo de fazer contato direto com investidores internacionais.

“A Missão China é a maior entre as que realizamos até agora. Além de estarmos levando as 35 empresas brasileiras, teremos outro fator inovador: a abertura do escritório da InvestSP em Xangai”, anunciou o governador em coletiva antes do embarque. O escritório será inaugurado na sexta (09/08). “Será um ponto de apoio para as empresas brasileiras, localizadas em São Paulo, na exportação de produtos e serviços. Além de apoiar o Governo no programa de desestatização, que é parte significativa na agenda de relação com a China”, afirmou Doria.

João Doria e representantes do Bank of China

Já no primeiro dia em Pequim, Doria participou do seminário Doing Business in São Paulo and China (Fazendo negócios em São Paulo e China), evento promovido pela agência de promoção de investimentos do Governo de São Paulo, InvestSP e Bank of China, na sede da instituição financeira. O Governador vai apresentar o seminário “O Potencial Econômico e de Negócios do Estado de São Paulo”. Também haverá assinatura do primeiro protocolo de intenções da viagem, celebrado entre a agência e o banco.

Na sequência, Doria participa de mais duas reuniões de trabalho. A primeira com o Presidente do Fundo de Cooperação Industrial para Expansão e Capacidade Produtiva Brasil-China, Han Hong Mei. A segunda, com o Presidente da China Railway Construction Corporation (CRCC), Chen Feng Jian. Em ambos os encontros, o Governador apresentará o projeto de desestatização com foco nos setores rodoviário, ferroviário, metroviário, hidroviário, aeroportuário e portuário.

“Até 2010, aproximadamente, os investimentos chineses se concentravam em projetos para o abastecimento de alimentos e energia da China. Mesmo que ainda hoje as matérias-primas sejam fundamentais nessa relação, hoje os alvos são indústria automotiva, telecomunicações, energia não convencional e serviços financeiros. São Paulo é um estado global, e a China desempenha um papel fundamental para o aquecimento da economia, geração de emprego e renda”, afirmou o secretário de Relações Internacionais, Julio Serson, que integra a comitiva.

No final do primeiro dia da viagem, o Governador recebe a delegação empresarial paulista em um coquetel de boas-vindas no Hotel St. Regis. Cerca de 35 empresários são aguardados, entre eles Roberto Padovani (Banco Votorantim), Priscila Belmonte Silva (Colormaq), Colin James Francis (Café Santa Monica), José Veloso Dias Cardoso (Abimaq), Evandro Gussi (Unica), Frederico Humberg (AgriBrasil) e Ricardo Gracia (Calçados Kidy).

Segundo dia

Na manhã de terça-feira (06/08), Doria se reúne com Zhao Huane, CEO do China Development Bank. Está prevista a assinatura de um memorando para ampliar iniciativas de cooperação mútua com foco no desenvolvimento sustentável de São Paulo e no fortalecimento das relações de negócios entre empresas brasileiras e chinesas. No mesmo dia, o Governador se encontrará com Li Bianqu, Diretor da Tebian Electric Apparatus, empresa do setor de energia que tem interesse em investir em linhas de transmissão e distribuição de energias hidrelétrica e solar no Brasil.

O governador também se encontra conversa com Lu Jun, presidente da China National Cereals, Oils and Foodstuffs Corporation (COFCO), empresa do setor agrícola, ligada às importações de soja e a maior processadora e comerciante de alimentos da China. A COFCO tem interesse na importação de grãos do Brasil e em investimentos de infraestrutura para escoamento e armazenamento de grãos.

Terceiro dia

Na quarta-feira (07/08), Doria cumpre agenda na província de Xian com Deng Yong, presidente da China Railway 20 Bureau Group Corporation (CR20). Acompanhado pelo Secretário dos Transportes Metropolitanos, Alexandre Baldy, o Governador assinará um protocolo de intenções com a empresa para estreitar a cooperação no setor de infraestrutura nas áreas ferroviária e metroviária. Ainda em Xian, Doria visitará o projeto da linha 14 do metrô da CR20 (13.837 km inteiramente subterrâneos) e o Museu de Guerreiros e Cavalos de Terracota.

Quarto dia e quinto dia

Na quinta-feira (08/08), o Governador partirá para Xangai, onde se reúne com Xian Zhu, Vice-Presidente do New Development Bank (NDB), conhecido como o banco do Brics (grupo de países formado por Brasil, Rússia, Índia, China e África do Sul). Para discutir os polos industriais e estratégias para redução de custo de energia, Doria tem jantar marcado com representantes do State Grid Corporation (Companhia Nacional de Rede Elétrica da China).

Na sexta-feira (09/08), será inaugurado, em Xangai, o primeiro escritório comercial do Governo de São Paulo. Segundo Serson, o objetivo é fortalecer e ampliar as relações econômicas com a China, além de detectar oportunidades de investimentos.

O Governador se reúne com executivos da Huawei Brasil e dirigentes do Comitê Mundial, que o acompanharão em visita técnica ao showroom da empresa. No final do dia, Doria e comitiva participarão do coquetel de encerramento da Missão China, na companhia da delegação empresarial.

A viagem termina no sábado (10), quando Doria visitará as instalações do Porto de Xangai.

O funcionamento do escritório de Xangai será custeado pelo Governo Chinês, com exceção do pagamento dos funcionários da iniciativa, treinados pela InvestSP. O escritório será dirigido por José Mário Moccia Antunes, Ex-Diretor da Apex (Agência Brasileira de Promoção de Exportações e Investimentos) e vai contar com a consultoria de Marcos Caramuru, Ex-Embaixador do Brasil em Pequim.

Relações São Paulo e China

O último acordo entre o Estado de São Paulo e o Governo Chinês foi assinado em novembro passado. Na ocasião, Câmara de Comércio Internacional da China e InvestSP estabeleceram um acordo para promover investimentos e divulgar atividades das duas regiões.

São Paulo e China possuem 11 acordos de cooperação. A maioria deles visa fortalecer relações em setores de investimentos, agricultura e esportes.

Um estudo da Comissão Especial para a América Latina e o Caribe (Cepal), de 2005 a 2017, mostra que o Brasil recebeu 55% dos investimentos chineses na América Latina. Segundo o Ministério do Planejamento, foram investidos U$ 53,9 bilhões entre 2003 e 2018.

 

(*) Da Secom do Governo de São Paulo


X
05/08/2019
Charges