Imprensa- 11/01/2017

Haddad é alvo de investigação criminal por fraude na própria agenda

Brasília 23/11/2011. Foto George Gianni / PSDB.O ex-prefeito de São Paulo, o petista Fernando Haddad, está sendo alvo de uma investigação criminal aberta pela Procuradoria-Geral de Justiça do estado. Ele é acusado de adulterar a sua própria agenda oficial com o objetivo de “passar um trote” no historiador e comentarista da rádio Jovem Pan Marco Antonio Villa.

De acordo com o Estadão, o documento da Procuradoria afirma que Haddad teria incluído na agenda “falsos compromissos” no dia 16 de maio de 2016 “de forma livre, deliberada e consciente”.

A investigação foi instaurada em dezembro de 2016, quando Haddad ainda estava à frente da Prefeitura. O petista já é alvo de uma ação civil pública pelo mesmo motivo ajuizada Ministério Público de São Paulo que investiga atos de improbidade administrativa. As penas previstas para este tipo de conduta variam entre a perda da função pública, suspensão dos direitos políticos e pagamento de multa.

Como a investigação aberta pela Procuradoria-Geral de Justiça tem caráter criminal, a denúncia contra Haddad pode ser enquadrada como ‘crime de prefeito’, previsto no Decreto Lei 201/67, e ainda por violação ao artigo 313-A do Código de Processo Penal.

A alteração das informações aconteceu após críticas feitas por Villa ao seu modo de governar e a ações de sua gestão. A Procuradoria deu prazo de 15 dias para o petista se manifestar. O responsável por inserir as falsas informações será identificado e também prestará esclarecimentos às autoridades.

 

Clique aqui para ler a íntegra da matéria no Estadão.

X
27/06/2017