Lula deve ter candidatura barrada pela Justiça

Notícias - 14/07/2017

Brasília (DF) – A situação do ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva fica cada vez mais crítica. Após ser condenado pelo juiz federal Sérgio Moro a nove anos e seis meses de prisão pelos crimes de corrupção e lavagem de dinheiro no caso do triplex de Guarujá (SP), o petista deve ficar fora da corrida eleitoral do ano que vem. Segundo o presidente do Tribunal Regional Federal da 4ª Região (TRF-4), Carlos Eduardo Thompson Flores, o recurso do ex-presidente será julgado na corte em agosto de 2018, podendo fazer com que o petista não possa postular o cargo de presidente. As informações são do jornal Folha de S. Paulo desta sexta-feira (14).

Apesar de ter se colocado como pré-candidato do PT a presidente nas próximas eleições nesta quinta (13), se a sentença que o condenou em primeira instância for confirmada em uma instância superior, Lula pode ter a candidatura a presidente barrada.

À Folha, o presidente do TRF afirmou que os prazos no tribunal têm importância crucial para a campanha do próximo ano. De acordo com ele, a estimativa é baseada no histórico de outros casos da Lava Jato na corte, um período de 10 meses até o caso ficar pronto para julgamento. “Entre o processo chegar aqui em agosto [deste ano] e até agosto do ano que vem acho que já deve estar sendo julgado”, disse.

O deputado federal Domingos Sávio (PSDB-MG) defendeu a celeridade do julgamento do ex-presidente. Segundo ele, a impossibilidade de Lula participar das eleições será uma ótima notícia para a população.

“É importante que o tribunal julgue isso rapidamente. Claro, dando a ele o direito de defesa, mas também pensando no povo brasileiro, no direito do povo se defender contra bandidos como o Lula. Se o processo enrolar e amanhã o Lula vier a ser candidato, ele vai sair por aí posando de vítima, dizendo que foi vítima de perseguição política. Isso é uma demagogia barata. Nós temos que nos defender para que esse criminoso não venha novamente enganar e roubar o povo”, afirmou.

Ainda na avaliação do tucano, a condenação do petista foi importante para confirmar que a justiça é feita para todos. “No caso do ex-presidente, ele teve amplo direito de defesa. Esse processo vem se arrastando já há alguns anos e não há dúvida para ninguém que tenha bom senso ou boa fé que o Lula cometeu um crime de corrupção. Ele tem que pagar por isso. O juiz Sérgio Moro agiu dentro da Justiça e a gente espera que a justiça prevaleça sempre”, completou.

Demagogia

Em seu primeiro pronunciamento após a condenação, o ex-presidente afirmou ontem que a sentença não mudará seus planos de disputar a Presidência em 2018, e que não há provas contra ele. “Se alguém pensa que, com essa sentença, me tiraram do jogo, pode saber que eu estou no jogo”, disse.

Para o parlamentar tucano, as declarações de Lula são “pura demagogia” e representam má-fé por parte do ex-presidente. “Além de criminoso, é um mentiroso que se profissionalizou em enganar o povo brasileiro, especialmente os mais pobres”, afirmou.

X
14/07/2017
Charges