Lula e PT não conseguem atrair militância para novo depoimento

Apenas cerca de 2.500 pessoas e 40 ônibus devem se deslocar para Curitiba

Notícias - 12/09/2017

Brasília (DF) – Marcado para esta quarta-feira (13), o novo depoimento do ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva ao juiz Sérgio Moro deve contar com menos da metade de público de militantes petista na comparação com o último encontro, ocorrido em maio. Na ocasião, Curitiba recebeu 200 ônibus e cerca de 6.000 manifestantes. Desta vez, cerca de 2.500 pessoas e 40 ônibus devem se deslocar para a cidade, segundo o ex-ministro de Lula Gilberto Carvalho, que participou da reunião que definiu o planejamento de segurança.

De acordo com o jornal Folha de S. Paulo desta terça (12), o contingente de segurança e investimento da capital paranaense também será reduzido em consequência da fraca assiduidade dos simpatizantes de Lula.

Planejamento divulgado pela Secretaria da Segurança Pública do Paraná aponta que cerca de 1.500 agentes de segurança vão trabalhar no novo depoimento. Em maio, foram usados 3.000 policiais.

Segundo a reportagem, petistas e dirigentes da Frente Brasil Popular preparam um ato em Curitiba, que também deve ser mais modesto do que o ocorrido em maio. Diferentemente do depoimento anterior, não haverá caravanas saídas das regiões Norte, Nordeste e Centro-Oeste. Também não haverá acampamentos de militantes em Curitiba.

O baixo quórum da militância petista reflete o momento desastroso pelo qual passa o ex-presidente. Réu em seis ações criminais, quatro delas na Operação Lava Jato, Lula foi condenado uma vez, por corrupção passiva, pelo juiz Moro. Outras três denúncias já foram oferecidas contra ele apenas em setembro.

O jornal destaca que, na avaliação de petistas, militantes e integrantes de movimentos de esquerda participaram da caravana de Lula pelo Nordeste, encerrada há apenas sete dias e, por isso, seus apoiadores estariam cansados.

Outra mudança em relação ao planejamento do primeiro depoimento é que a parte administrativa da Justiça Federal irá funcionar normalmente na quarta-feira. Em maio, apenas servidores que trabalharam na audiência, advogados e membros do Ministério Público Federal tiveram acesso ao prédio.

Segundo o secretário da Segurança, Wagner Mesquita, o estado também espera gastar menos. No outro depoimento, foram gastos R$ 150 mil.

Clique aqui para ler a íntegra da matéria.

X
12/09/2017
Charges