Notícias - 11/08/2017

Merval Pereira: PSDB busca seu caminho

Em sua coluna publicada nesta sexta-feira (11) pelo jornal O Globo, o jornalista Merval Pereira afirma que o PSDB deu início a um movimento para resgatar suas principais teses e ideais políticos, o que inclui a defesa do sistema do parlamentarismo no Brasil. O presidente do PSDB, senador Tasso Jereissati (PSDB-CE), é defensor do parlamentarismo como consequência do modelo do voto distrital misto – sem que essas mudanças necessariamente entrem em vigor na reforma política que está agora em discussão do Congresso.

Na coluna, o jornalista afirma que a implantação do sistema do “distritão”, sem a transição migração para o modelo do distrital misto, não tem o apoio do PSDB. A ideia de Tasso, segundo Merval Pereira, é incluir a discussão sobre o parlamentarismo como um ponto programático dos tucanos – mesmo que o sistema não tenha apoio da maioria do Congresso Nacional.

* Confira abaixo os principais trechos da coluna:

– O presidente interino do partido, senador Tasso Jereissati, diz que o partido não é adepto do distritão, e o aceita apenas como uma transição para o distrital misto. Se houver a intenção de transformar o distritão em sistema permanente, o PSDB não apoiará a mudança, nem mesmo para as próximas eleições.

– A adoção do parlamentarismo, segundo Tasso Jereissati, seria uma consequência lógica do distrital misto, mas não necessariamente de concretização imediata, nem vinculada às decisões que estão sendo tomadas agora na Comissão de Reforma Política. Como um ponto programático dos tucanos, o parlamentarismo seguirá sendo defendido pelo partido mesmo que não tenha o apoio da maioria do Congresso.

– Mesmo sem o parlamentarismo, o PSDB se bate pela transição para o sistema de voto distrital misto, que considera o mais moderno em utilização nas democracias ocidentais, por baratear as eleições e aproximar os candidatos dos eleitores.

– A defesa institucional do parlamentarismo não tem nada a ver com vontade de voltar ao poder sem a disputa direta do voto na eleição presidencial, garante Tasso Jereissati. Trata-se do retorno dos tucanos à defesa de teses e ideias, numa tentativa da nova direção de colocar o partido nos trilhos novamente e recuperar os eleitores que se decepcionaram nos últimos tempos.

– A campanha de autocrítica [do PSDB] que já está no ar, chamando para o programa do partido, não será, porém, direcionada a pessoas ou fatos acontecidos recentemente. A campanha será uma tentativa de resgatar a identidade do partido, que ficou desgastada nos últimos anos de crise política, e de reaproximar-se de seus eleitores tradicionais.

* Clique aqui para ler a íntegra da coluna do jornalista Merval Pereira

X
18/08/2017
Charges