“Não podemos cruzar os braços tendo ao lado uma ditadura”, diz Aloysio

Notícias - 04/08/2017

O ministro das Relações Exteriores, Aloysio Nunes Ferreira (PSDB-SP), afirmou, nesta sexta-feira (4), que a Venezuela deve ser suspensa do Mercosul por desrespeitar os preceitos democráticos. O tucano usou as redes sociais para demonstrar sua indignação com os rumos políticos, traçados pelo presidente venezuelano, Nicolás Maduro.

Segundo o chanceler, é inadmissível ficar de “braços cruzados” ao lado de uma “ditadura”. “Um governo democrático não pode conviver, de braços cruzados, com uma ditadura ao nosso lado. Essa é minha posição e a posição do Brasil”, disse Aloysio Nunes nas redes sociais.

Em seguida, o tucano acrescentou que: “Por consequência, o Brasil vai propor que ela seja suspensa do Mercosul até que a democracia volte. É intolerável que nós tenhamos no continente sul-americano uma ditadura. Houve uma ruptura da ordem democrática na Venezuela”.

Reunião

Neste sábado (5), haverá, em São Paulo, uma reunião de chanceleres do Mercosul – Brasil, Argentina, Uruguai e Paraguai, além dos países- associados Bolívia e Chile – para discutir a suspensão da Venezuela com base no Protocolo de Ushuaia, que estabelece os compromissos dos países-membros com os princípios democráticos.

O Ministério das Relações Exteriores informou que será uma reunião de continuidade à iniciada em 1º de abril, em que foi constatada “a ruptura da ordem democrática naquele país”. No último 21 de julho, em Mendoza, na Argentina, o impasse na Venezuela também foi tema de discussões dos chanceleres.

“Os chanceleres de Brasil, Argentina, Paraguai e Uruguai deverão avaliar a ausência de medidas concretas para a retomada da normalidade democrática por parte do governo venezuelano, sua recusa a participar da reunião de consultas e o agravamento da situação na Venezuela”, diz a nota divulgada pelo Itamaraty.


X
04/08/2017
Charges