Imprensa- 10/01/2017

“O PT terá muita dificuldade em construir um discurso para 2018”, diz tucano sobre possibilidade de Lula ser candidato

25117396642_4eae2e3668_k-betinho-gomesSem candidatos para lançar à Presidência da República em 2018 e correndo o risco de uma “debandada geral” por parte dos seus integrantes, o PT vive um cenário de incertezas sobre o futuro da sigla. Sob forte rejeição popular após repetidos escândalos de corrupção envolvendo o governo, o partido insiste no nome do ex-presidente Lula para disputar a Presidência da República nas próximas eleições.

Lula é réu em cinco processos penais, três deles no âmbito da Operação Lava Jato. A persistência na escolha do petista para o cargo tem sido apontada como parte da estratégia jurídica da defesa de Lula, já que o partido declarou formalmente que defende a antecipação da eleição presidencial em caso de cassação da chapa Dilma-Temer pelo Tribunal Superior Eleitoral (TSE). A candidatura poderia livrar o petista de possíveis condenações na Justiça que possam levar o ex-presidente à prisão em 2017.

O deputado federal Betinho Gomes (PSDB-PE) acredita que o PT já está isolado politicamente e que a sigla terá muita dificuldade em construir um discurso para as próximas eleições que ultrapasse a imagem negativa construída pelos crimes cometidos pelas lideranças petistas.

“O PT já foi condenado pela população e politicamente também. As eleições municipais revelam isso. Há uma extrema dificuldade por parte deles [PT] de criar um discurso para 2018. Se a candidatura de Lula faz parte de um plano para defesa, isso, só o tempo dirá”, disse.

O tucano ressaltou que é preciso que o partido se defenda e esclareça todas as acusações que pesam sobre os integrantes envolvidos em ilegalidades. “A Justiça deve se pronunciar em princípio, e se eles [PT] forem para disputa, vão ter que criar um argumento político para poder defender a posição deles”, afirmou.

Apesar do imbróglio envolvendo o PT, o tucano acredita que este é um problema interno da sigla e que o PSDB está concentrado em apresentar saídas para o Brasil. “O PSDB tem a responsabilidade de apoiar as medidas que são corretas para tirar o país dessa crise econômica profunda, que é de responsabilidade exclusiva do PT. Fora isso, acho que nós temos que nos preparar para apresentar ideias e projetos para as eleições de 2018 para que a população possa julgar e escolher o que é melhor”, concluiu.

 

X
28/03/2017