Para Fábio Sousa, país já “começa a respirar”, mas ainda tem “longo caminho” para superar crise

Imprensa - 25/08/2016

fabio sousa foto divulgacaoEm mais uma demonstração de que a economia brasileira começa a dar os primeiros passos rumo à recuperação depois da crise instalada pelo governo de Dilma Rousseff, a atividade econômica no estado de São Paulo cresceu pela primeira vez após cinco trimestres consecutivos de resultados negativos. A expansão registrada no segundo semestre ainda foi pequena, de 0,2%, mas o principal indicativo diz respeito ao desempenho da indústria, que teve alta de 3,8% no período, de acordo com matéria publicada pelo Valor Econômico nesta quinta-feira (25).

A recuperação da indústria em nível nacional também já começa a se apresentar. De acordo com uma ferramenta lançada pela Confederação Nacional da Indústria (CNI) chamada Termômetro da Indústria, cinco indicadores, de um total de nove, tiveram um desempenho positivo entre junho e agosto. Entre eles se destaca, por exemplo, o Índice de Confiança do Empresário Industrial (Icei), que registrou 51,5 pontos em agosto, passando de 50 pontos pela primeira vez em 28 meses.

Para o deputado federal Fábio Sousa (PSDB-GO), apesar das demonstrações de superação do quadro de recessão, o Brasil ainda não saiu da crise e deve continuar trilhando um caminho baseado no controle de gastos.

“Eu acredito que ele [país] começa a respirar. Nós ainda temos um caminho longo pela frente, a situação até o meio desse ano era uma situação crítica, quase moribunda da economia, e algumas ações tomadas foram certeiras. É algo para a gente ter esperança, mas não pode baixar a guarda, nós temos um caminho muito longo de recuperação econômica pela frente. Muitas medidas devem ser tomadas por esse novo governo. Se não houver essas medidas, nós podemos continuar na mesma. E o brasileiro não aguenta mais continuar na mesma”, argumentou o tucano.

O parlamentar goiano acredita que o governo do presidente em exercício Michel Temer deve manter a austeridade para recuperar a economia nacional e voltar a gerar empregos no Brasil.

“Nós precisamos de um estado mais enxuto, precisamos de investimentos, sejam externos ou internos, e isso tudo são medidas que o governo tem que tomar. A busca do investimento e também as medidas austeras. Isso vai dar condição para que o brasileiro volte a trabalhar. O investimento vai gerar emprego, e gerando emprego, vai gerar renda. É um ciclo vicioso positivo”, encerrou o deputado.


X
25/08/2016
Charges