Para tucano, queixa de Lula à ONU mostra que petista “não tem o menor respeito pelo Brasil”

Segundo Domingos Sávio, tentativa de levar caso para entidade internacional é um “atentado contra a soberania do país”

Imprensa - 30/01/2017

domingos-savio-foto-alexssandro-loyolaO governo federal contestou a queixa protocolada pelo ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva no Comitê de Direitos Humanos das Nações Unidas, em Genebra, na Suíça, na qual o petista diz que suas garantias estariam sendo violadas pela Operação Lava Jato. De acordo com matéria do jornal O Estado de S.Paulo desta segunda-feira (30), o Ministério de Relações Exteriores, a Procuradoria-Geral da União e a Advocacia-Geral da União (AGU) afirmaram não haver motivos para que o mérito seja analisado, já que o ex-presidente responde às acusações em liberdade e os meios recursais não terem sido esgotados.

Para o presidente estadual do PSDB-MG, o deputado federal Domingos Sávio, a tentativa de levar o caso para a ONU é um “atentado contra a soberania do Brasil”. “O Lula sempre fez questão de dizer que ele é um simples operário, um cidadão como qualquer outro brasileiro. Só que agora o ex-presidente é um criminoso que está sendo processado pelo Ministério Público e pela Justiça brasileira. Portanto, ele é como qualquer outro criminoso e deve responder à Justiça. O Lula mostra, com essa tentativa ridícula, que ele não tem o menor respeito pelo Brasil. Para se livrar, ele tenta desmoralizar toda a justiça brasileira”, critica o tucano.

Segundo o Estadão, o governo brasileiro argumentou que foi assegurado ao petista o devido processo legal e ampla defesa e, portanto, a presunção de inocência do ex-presidente não foi violada. Com a entrega da contestação, a ONU iniciará a avaliação do mérito da queixa e sua admissibilidade, cuja resposta poderá “levar até dois anos”.

“Tenho certeza que a ONU vai simplesmente arquivar esse pedido ridículo do Lula, que só mostra como ele de fato é um grande cara-de-pau”, pontua Domingos Sávio.

Clique aqui para ler a íntegra da matéria.


X
30/01/2017
Charges