Para tucanos, corte de gastos é resposta efetiva do Congresso aos brasileiros

Notícias - 04/07/2018

Nesta terça-feira (3), deputados do PSDB saíram em defesa do corte de gastos de custeio no Legislativo, Executivo e Judiciário. Reduzir os gastos da máquina pública é a proposta dos tucanos para acabar com o desperdício de dinheiro e para sobrar mais dinheiro para investimentos. O líder do partido, deputado Nilson Leitão (MT), apresentou emenda ao projeto da Lei de Diretrizes Orçamentárias para cortar as despesas em 20%. O relator da LDO, senador Dalirio Beber (PSDB-SC), acatou a redução de 10%.

Da tribuna, o líder argumentou que a estrutura pública está pesada e não consegue entregar ao cidadão o que ele precisa em setores básicos, como saúde e educação. “O peso da máquina está nos ombros dos brasileiros, que não suportam mais pagar impostos e ficar sem o atendimento necessário”, criticou.

A emenda apresentada por Nilson Leitão à LDO busca reduzir gastos na atividade meio. “Queremos reduzir o custeio do carro oficial, das diárias de viagens que às vezes não são necessárias. Temos espaço para reduzir mais”, justificou. O tucano criticou a disparidade de salários entre profissionais igualmente competentes no serviço público e na iniciativa privada.

Essa é a oportunidade de todos os partidos votarem a LDO com uma emenda já acatada pelo relator, reforçou o líder tucano. Assim, os custos terão corte de 10% no próximo ano. “É necessário que parta do Congresso uma atitude clara de redução da máquina pública. Temos que fazer a nossa parte”, acrescentou.

O deputado Betinho Gomes (PE), 1º vice-líder do PSDB na Câmara, afirmou que o Parlamento deve uma resposta efetiva aos brasileiros. “O corte drástico no custeio desses poderes simboliza a nossa disposição em tomar ações concretas. Não adianta fazer discurso de ajuste fiscal se não houver ação”, disse. O tucano avalia que a emenda à LDO vai permitir um ambiente mais favorável nas contas públicas a partir de 2019, quando um o Brasil terá um novo governo,

Betinho afirmou que o Parlamento deve uma resposta efetiva aos brasileiros.

Segundo o parlamentar, muitas vezes os gastos dos três poderes não promovem retorno direto na vida do cidadão. “Não temos autoridade política para exigir nada da população, já sufocada por impostos excessivos e sem o retorno dos serviços públicos”, alertou.

O deputado acrescenta que o país vive um momento de extrema dificuldade financeira cultiva com anos de irresponsabilidade na condução da economia. O drama da crise deixou 13 milhões de desempregados e atingiu diretamente a população com inflação e juros altos. O resultado é a descrença e o desânimo do povo em relação ao futuro do país.

Com um sistema político exaurido, o cidadão deixou de confiar nos partidos, afirmou Betinho. “Alimentam a revolta em relação a tudo o que é produzido no Congresso, no Judiciário e no Executivo. Temos que persistir na construção de soluções”, cobrou. Um passo foi dado com a aprovação da PEC 282, que acaba com coligações e cria a cláusula de desempenho. No entanto, Betinho considera que essa ainda não é a resposta cobrada pelo povo.

“Vamos mostrar ao povo brasileiro que estamos comprometidos com a redução das despesas e construir um ambiente de entendimento nacional para a superação da crise”, declarou.

*Do portal do PSDB na Câmara

X
04/07/2018
Charges