Presidente da Vale deixa audiência sem respostas sobre desastre, diz tucano

Notícias - 15/02/2019
Foto: Alexssandro Loyola

O deputado Paulo Abi-Ackel (MG) avalia que o presidente da mineradora Vale, Fabio Schvartsman, se esquivou do debate e deixou a Câmara dos Deputados sem assumir compromisso algum para reparar os danos em Brumadinho (MG). Schvartsman participou de audiência nesta quinta-feira (14) na comissão externa que avalia o rompimento da barragem na cidade mineira. A tragédia deixou 166 mortos e ainda há dezenas de desaparecidos.

“Ele sai menor e vai ter muita dificuldade nos depoimentos às CPIs que serão instaladas no Congresso. Ele não enfrentou o debate”, lamentou Abi-Ackel. Na audiência, o presidente da Vale afirmou que a companhia foi surpreendida e até hoje não sabe o que causou o derramamento de rejeitos de minérios.

O parlamentar mineiro afirma que a população do estado está assustada e preocupada com outras barragens construídas com o mesmo sistema. “Há enorme dúvida se não houve desgaste em construções feitas nas décadas de 60, 70. Há muito medo das populações vizinhas pelo descaso da Vale com o episódio de Mariana”, disse.

Em 2015, o rompimento da barragem do Fundão, entre Mariana e Ouro Preto, devastou municípios próximos, principalmente o de Bento Rodrigues. O desastre deixou 19 mortos e centenas de desabrigados, além da poluição no rio Doce.

Segundo Abi-Ackel, o prefeito de Mariana, Duarte Eustáquio Júnior, ajuizou ação para cobrar a não reparação dos prejuízos ambientais e socioeconômicos. Desde sua origem, o município vivia da atividade de mineração, e houve imenso empobrecimento em toda a região. Além disso, a empresa se nega a pagar parcelas devidas ao município por decisão judicial.

“A Vale vem postergando o pagamento de recursos que seriam fundamentais para a saúde financeira do município. Será dado a Brumadinho o mesmo tratamento?”, lamentou Abi-Ackel.

Do PSDB na Câmara

Temas relacionados:

X
15/02/2019
Charges