PSDB repudia declarações de Eduardo Bolsonaro sobre AI-5: preferem coerção ao livre debate

Notícias - 31/10/2019

Em nome do PSDB, o presidente nacional do partido, Bruno Araújo, divulgou nota condenando a atitude do deputado Eduardo Bolsonaro que, em vídeo, sugeriu a retomada do AI-5.

Parece que não restam mais dúvidas sobre as intenções autoritárias de quem não suporta viver em uma sociedade livre.
Preferem a coerção ao livre debate de ideias. Escolhem a intolerância ao diálogo.
Ameaçar a democracia é jogar o Brasil novamente nas trevas.
O PSDB, que nasceu na luta pela volta da democracia no Brasil, condena de maneira veemente as declarações do filho do presidente da República.”

O presidente do PSDB também publicou o seguinte depoimento:

O Ato Institucional nº 5 é um dos episódios mais tristes da história brasileira – certamente, o mais triste da história recente. Provocou o fechamento do Congresso Nacional, instituiu a perseguição aos parlamentares contrários ao regime militar ditatorial, suspendeu garantias constitucionais, liquidou as eleições diretas, calou a liberdade de expressão e institucionalizou a tortura.

O Brasil demorou mais de duas décadas para se livrar de seus efeitos nefastos. Somente em 1982, houve eleições diretas nos estados; e os brasileiros só voltaram escolher o presidente da República em 1989.

Doria: democracia não tem medo de bravatas
Também em resposta à fala do deputado Eduardo Bolsonaro, o governador João Doria repudiou, em nota, o que chamou de “tentação autoritária”. “Conheci de perto o mal que ditadores e ditaduras fazem às pessoas, às famílias e ao país “, disse.

“O Brasil consolidou, ao longo de três décadas, a sua ordem democrática. As instituições funcionam e toda e qualquer ameaça à conquista do Estado Democrático de Direito deve ser repelida. A ruptura do modelo democrático é inaceitável. O país quer distância dos radicais que pregam medidas de exceção e atentam contra a Constituição”, diz a nota

Segundo Doria, a democracia brasileira não tem medo de bravatas. “O Brasil estará unido para manter as liberdades civis, a imprensa livre e as garantias fundamentais. A Nação não deixará de ter fidelidade aos seus valores democráticos.”

“Comentário não ajuda o país”, afirma Liderança do PSDB na Câmara
Para o Líder do PSDB na Câmara, Carlos Sampaio (SP), a declaração do deputado federal Eduardo Bolsonaro, de que um novo AI-5 pode ser uma possibilidade à radicalização da esquerda no Brasil, é um desatino e não ajuda o país neste momento em que se discute as reformas estruturantes, a retomada da economia e o enfrentamento do desemprego.

“É um comentário que afronta a democracia, agride o bom senso e que não ajuda em nada o país neste momento em que estabilidade política é essencial para avançarmos nas discussões que são importantes para o país.”

Segundo Sampaio, “o Brasil enfrentou, há bem pouco tempo, um processo de impeachment, que é um momento político extremo e de polarização, mas dentro das regras democráticas e da Constituição. Considerar o retorno da ditadura como um caminho aceitável é um desatino”.

Para o Líder, “a democracia, os direitos e liberdades fundamentais, e o funcionamento das nossas instituições devem ser defendidos por todos os brasileiros. São valores sobre os quais não podemos retroceder um milímetro”, afirmou.

 

Temas relacionados:


X
31/10/2019
Charges