Tucanas comemoram a adesão de Geraldo Alckmin à Plataforma Brasil 50-50, da ONU Mulheres

Notícias - 28/09/2018

A adesão do candidato do PSDB à Presidência da República, Geraldo Alckmin, à Plataforma 50-50, da ONU Mulheres, repercutiu positivamente entre as mulheres do partido. O documento foi recebido pela candidata a vice-presidente, senadora Ana Amélia nesta sexta-feira (28), durante o debate Mulheres na Política, promovido pelo Instituto Locomotiva e o El País, com todas as postulantes ao cargo nas Eleições 2018.

O documento contém oito eixos temáticos para orientar políticas de promoção à igualdade de gênero. Ao subscrever a Carta Compromisso, Alckmin se comprometerá com a implementação de políticas públicas para a paridade entre homens e mulheres na economia, na participação política, no enfrentamento à violência, na Educação, na Saúde e na mobilidade, entre outros.

Clique aqui e leia as 8 diretrizes da Plataforma 50-50

Representante eleita do Comitê da ONU de Defesa dos Direitos das Pessoas com Deficiência, a deputada federal e candidata ao senado por São Paulo, Mara Gabrilli, já assinou o mesmo documento. Ela comemorou a iniciativa de Geraldo Alckmin. Para a tucana, esse é um passo fundamental para que o nosso país acabe com todas as formas de discriminação contra mulheres e meninas. “Ao assumir o compromisso com a Plataforma Brasil 50-50, Geraldo Alckmin dá um passo importante em direção à igualdade de gêneros e ao empoderamento da população feminina”, observou.

Mara ressalta a importante participação de Ana Amélia nesta conquista e afirma que ambos são os mais preparados para comandar o país. “Esse compromisso mostra que ele é também o que mais tem visão de desenvolvimento sustentável, onde a participação da mulher nas decisões é tão fundamental quanto a do homem. Junto com Ana Amélia, ele só tem a alavancar a vida das brasileiras em todas as áreas da sociedade”, acrescentou.

Primeira mulher a ocupar o cargo de segunda secretária da Mesa Diretora da Câmara dos Deputados, a deputada federal e candidata à reeleição, Mariana Carvalho (RO), também se manifestou sobre mais essa decisão do presidenciável tucano em favor das mulheres. Alckmin foi o primeiro presidente de partido a acatar a decisão da Justiça Eleitoral, que determinou que 30% dos recursos dos Fundo Eleitoral deste ano fossem destinados a candidatas mulheres.

“Trata- se de uma iniciativa louvável porque o nosso candidato à Presidência da República Geraldo Alckmin reafirma o seu compromisso em ampliar a participação das mulheres na sociedade. A escolha da senadora Ana Amélia como sua vice já sinalizou a sua tendência em colaborar com as conquistas das mulheres”, disse.

Para a presidente do PSDB-Mulher de Alagoas e coordenadora do segmento na Região Nordeste, Adriana Toledo (AL), a adesão à Plataforma 50-50 foi pertinente no momento em que as mulheres assumiram um protagonismo diante das eleições de outubro.

“São bandeiras que coadunam perfeitamente com a proposta de nosso partido. Para mim é perfeitamente compatível com o plano de governo de Alckmin que ele se comporte dessa forma, assinando a plataforma 50-50, que é uma luta mundial das mulheres. Fico muito feliz de ver que nosso candidato vai representar essa luta aqui no Brasil”, comemorou.

A coordenadora de formação e cidadania do PSDB-Mulher, Izabel Lorenzetti (SP), acredita que o compromisso assumido por Geraldo Alckmin não se trata apenas de promessa de campanha. Segundo ela, o PSDB sempre teve preocupação com a igualdade de gênero.

“Acredito também que é um ato de coragem em assumir um compromisso com um organismo internacional com as brasileiras. Diante de todos os desafios e os avanços que o mundo atual nos apresenta, ele está sendo, mais uma vez, corajoso e dando uma demonstração concreta de que ele leva muito a séria a igualdade. Os compromissos apresentados por ele no plano de governo serão cumpridos”, previu.

A prefeita de Chapada dos Guimarães, Thelma de Oliveira (MT), acredita que ao assumir o compromisso com a ONU Mulheres, Alckmin está contribuindo com a consolidação da consolidação da democracia no nosso país. “Essa demonstração é mais uma que fortalece o sentimento de que com Geraldo as mulheres terão um espaço muito grande dentro do governo”, declarou.

A 3ª Vice-presidente do PSDB-Mulher Lêda Tâmega (DF) está confiante de que o tucano ouvirá as reivindicações das brasileiras e que colocará em prática as diretrizes elencadas na plataforma. “Ele está com a gente e nós sabemos disso. Eu aprovo e estou disposta a compartilhar essa iniciativa dele”, concluiu.

Reportagem Tainã Gomes de Matos

X
28/09/2018
Charges