Tucanos rebatem versões apresentadas por Lula em depoimento à Justiça Federal

Notícias - 11/05/2017

Brasília (DF) – Parlamentares tucanos criticaram a sucessão de absurdos proferidos pelo ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva durante depoimento do petista ao juiz federal Sergio Moro, nesta quarta-feira (10), em Curitiba. Além de se contradizer por diversas vezes, diante das provas apresentadas pela força tarefa da Operação Lava Jato, o petista insistiu em se colocar como candidato à Presidência da República, e ainda tentou responsabilizar sua falecida esposa, a ex-primeira dama Marisa Letícia, por todas as negociações envolvendo a reforma bancada pela construtora OAS no apartamento tríplex do Guarujá (SP).

Segundo reportagem desta quinta-feira (11) do portal G1, Lula entrou em contradição ao ser questionado pelo juiz Moro acerca da relação entre o ex-diretor da Petrobras Renato Duque e o ex-tesoureiro do PT João Vaccari Neto. A princípio, o petista disse que não tinha conhecimento de nenhuma relação entre os dois. Confrontado pelo magistrado, o ex-presidente admitiu ter pedido a Vaccari que intermediasse um encontro com Renato Duque.

Vale lembrar que, em depoimento ao juiz Moro na última semana, Duque acusou Lula de ter recomendado a destruição de provas da propina recebida por petistas fora do Brasil no esquema do petrolão. Segundo o ex-diretor da Petrobras, Lula também teria determinado, a partir de 2007, que a arrecadação de propina para o PT por meio de contratos da Petrobras fosse negociada diretamente com João Vaccari Neto.

Líder do PSDB no Senado, Paulo Bauer (SC) criticou o circo armado durante o depoimento de Lula em Curitiba, com caravanas financiadas por petistas com o único intuito de transformar o processo em um ato político.

“É inacreditável que centrais sindicais, entidades não governamentais e até partidos políticos financiem a ida de milhares de pessoas para Curitiba para fazerem pressão, para defenderem alguém que está indo depor perante o juiz. Quando é que nós vamos ter efetivamente no Brasil uma situação de confiança no Judiciário? A partir do momento em que o Judiciário puder trabalhar com liberdade e autonomia”, disse.

“Nós não aprovamos e não aplaudimos essa postura de dirigentes, de partidos e lideranças sindicais de fazerem procedimento de inocência antecipada de alguém que precisa se explicar na Justiça”, acrescentou o tucano.

‘Lula interditado’

Após o empresário José Carlos Bumlai, amigo pessoal de Lula, ter dito ao juiz Sergio Moro que a ideia da compra de um terreno para a construção de uma nova sede para o Instituto Lula partiu da ex-primeira dama Marisa Letícia, foi a vez do próprio Lula responsabilizar sua esposa. Segundo o petista, a ex-primeira dama era a responsável pelo apartamento tríplex do edifício Solaris, no Guarujá.

“Quem cuidava do apartamento era a dona Marisa”, afirmou Lula. “Vou até repetir, se quiser economizar tempo. A minha relação com o famoso apartamento da Bancoop é de quando a minha mulher comprou, que foi feito imposto de renda, à primeira visita do Leo [Pinheiro, ex-presidente da construtora OAS] para me falar que tinha que visitar o apartamento porque estava acabando o prédio”, reforçou o petista.

Para o deputado federal Rogério Marinho (PSDB-RN), relator da proposta de modernização das leis trabalhistas na Câmara, o ex-presidente petista precisa “ser interditado”.

“Ontem em rede nacional assistimos Lula, o maior líder da esquerda brasileira, afirmar que o tríplex foi opção de investimento de sua esposa morta. E que ele, Lula, não tinha influência no PT, e ainda que a sua preocupação com contas no exterior de Renato Duque foi para evitar fofocas. Realmente, Lula é referenciado como exemplo claro de manipulação de fatos e problemas de amnésia desde o mensalão, quando nada sabia. Merece ser interditado”, avaliou o parlamentar, em seu perfil no Twitter.

Outros tucanos também usaram suas redes sociais para rechaçar as declarações dadas por Lula em depoimento ao juiz Moro. “Jornais desta quinta-feira destacam o depoimento de Lula ao juiz federal Sérgio Moro. Como era de se esperar, ‘ele não sabia de nada’”, resumiu o deputado federal Lobbe Neto (PSDB-SP).

O deputado federal Daniel Coelho (PSDB-PE) criticou o argumento de perseguição, tanto da Justiça como da imprensa, a que o petista sempre recorre quando lhe faltam argumentos. “Perseguição? Quem persegue cada um é sua história. Quem não comete crime não dá motivo para a justiça fazer nada”, rebateu no Twitter.

“É inacreditável a capacidade que Lula tem de continuar enganando os milhares de brasileiros que ainda acreditam nele”, completou o deputado federal Vitor Lippi (PSDB-SP).


X
11/05/2017
Charges