’Vamos fazer o prolongamento da Carvalho Pinto até Aparecida’, diz Doria em visita à região

Notícias - 13/09/2018
Prefeito de São Paulo, João Doria reunido com a bancada do PSDB na Câmara. Brasília, 28/06/2017 – Foto Orlando Brito

O candidato do PSDB ao Governo do Estado, João Doria, esteve nesta quinta-feira (13) em três cidades do Vale do Paraíba e disse que uma das prioridades para a região, caso eleito, será o prolongamento da Rodovia Carvalho Pinto. “Nós vamos fazer o prolongamento da Carvalho Pinto até Aparecida. São cerca de 40 quilômetros. Vamos fazer até porque o projeto já existe”, disse, acrescentando que é possível realizar a obra por meio de uma Parceria Público-Privada (PPP).

“Ela será executada com investimento privado e a participação do Estado e dos municípios que serão beneficiados ao longo do seu trajeto. É importante para melhor o escoamento, a mobilidade e a segurança também, não só apenas dos usuários em condições normais, mas nos períodos especiais”, falou o candidato sobre os períodos que Aparecida e outras cidades da região têm um aumento no número de visitantes por causa do turismo religioso.

Outra preocupação dos moradores da região é com a segurança. Doria disse que irá investir em inteligência, com a integração e troca de informações entre as polícias. Ele também vai melhorar o policiamento ostensivo em municípios como Lorena, que ainda apresenta índices altos de criminalidade. Entre os projetos, está a instalação de bases comunitárias com funcionamento 24 horas e o monitoramento eletrônico nas áreas urbanas e nos acessos às estradas.

O candidato do PSDB falou ainda sobre o aumento do número de policiais de duas formas: contratação para a Polícia Civil e a retirada de policiais militares das funções administrativas. “A Polícia Civil precisa de uma nova contratação, de um novo concurso para mais policiais, delegados, escrivães, e Polícia Científica também, isto é necessário e será feito com recursos do Orçamento do Estado, gradualmente. Na Polícia Militar, nós vamos tirar de funções administrativas, também reduzir gradualmente a escolta de presos feita por PMs e investir na teleconferência”, afirmou.

X
13/09/2018
Charges