Vendas no varejo registram pior resultado em 14 anos

Notícias - 11/05/2017

Um dos setores que mais gera emprego e renda no país, o comércio varejista registrou o pior resultado em março deste ano visto em 14 anos. As vendas nesse setor recuaram quase 2% em comparação com fevereiro. Em relação ao mês de março de 2016, a perda foi de 4%, a 24ª taxa negativa consecutiva nessa base de comparação. As informações foram publicadas pelo Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE) nesta quinta-feira. Para o deputado federal Fábio Sousa, do PSDB de Goiás, o resultado é consequência de uma perda acentuada de empregos no país. Uma das soluções, para o tucano, é trazer de volta os postos de trabalho perdidos durante o governo de Dilma Rousseff.

“Isso tudo é resultado do alto índice de desemprego do país. Com o trabalho em queda, evidentemente as pessoas não têm dinheiro para comprar. Com os serviços caindo, isso vai gerar mais demissões. O que a gente está precisando é, de fato, de medidas que incrementem a economia”, destacou.

O IBGE aponta ainda que o volume de vendas caiu principalmente no setor de hipermercados, supermercados, produtos alimentícios, bebidas e fumo, que tem peso importante no consumo das famílias. Em março, o recuo foi de 6,2%, ante queda de 1,7% em fevereiro. O número preocupa, pois mostra que a população continua cortando itens essenciais para sobreviver à crise econômica. Fábio Sousa explica que, nesse contexto, a modernização das leis trabalhistas, já aprovada na Câmara, pode ajudar a recuperar os empregos, a renda e investimentos.

“A reforma trabalhista é de suma importância. A aprovação dela é fundamental para que a economia possa respirar. Se há um sistema mais harmônico no relacionamento entre patrão e funcionários e se você dá condições para quem ainda tem recursos investir e contratar mais pessoas, sem dúvida a economia vai girar”, disse.

Por causa da aproximação com o Dia das Mães, o fluxo de pessoas circulando nos shoppings cresceu 3,4% em abril em comparação com 2016. A expectativa é de que as vendas nesse período do ano voltem para o azul, após o tombo registrado no ano passado. Depois do Natal, o Dia das Mães é a segunda melhor data do varejo.


X
11/05/2017
Charges