PSDB na Câmara acionará na segunda-feira Câmara do MPF contra ministro Cardozo

Líder do partido na casa, Antonio Imbassahy (BA) avalia que Cardozo extrapolou prerrogativas

Acompanhe - 16/11/2014

Antonio Imbassahy Foto George Gianni PSDB  (3)O Líder do PSDB na Câmara, Antonio Imbassahy (BA), acionará nesta segunda-feira (17/11) a Câmara de Direitos Sociais e Fiscalização de Atos Administrativos em Geral, vinculada ao Ministério Público Federal, contra o ministro da Justiça, José Eduardo Cardozo, por suposto desvio de finalidade ao ordenar que a Polícia Federal abra sindicância contra quatro de seus delegados no Paraná que criticaram o PT em um perfil fechado de uma rede social.

Para Imbassahy, Cardozo extrapolou suas prerrogativas e, portanto, agiu ilegalmente. Na petição que será protocolada amanhã, o Líder do PSDB irá argumentar que, se o ministro da Justiça considera que houve ofensa à honra da presidente da República, ele deveria pedir investigação ao Ministério Público, conforme estabelece a legislação, e não como optou por fazer. O Líder do PSDB irá solicitar também que, comprovada a ilegalidade, o ato do ministro seja suspenso.

“Ficou claro, nesse episódio, que Cardozo optou por deixar de fazer o que deveria para fazer o que não poderia. Estando o governo do qual faz parte enrolado até o nariz nas investigações sobre a corrupção na Petrobras, o ministro deveria se preocupar com as investigações e com o envolvimento de apadrinhados do governo no esquema. Em vez disso, extrapolou a sua função. A forma como agiu pode dar a interpretação de que ele quis constranger os delegados que atuam na Operação Lava Jato, o que é muito ruim e está na contramão do que espera a sociedade”, afirmou.

O presidente do PSDB, senador Aécio Neves, também recomendou que o ministro Cardozo deveria se preocupar principalmente em apurar as irregularidades cometidas durante a campanha por dirigentes dos Correios – algo que até agora não se tem notícias – e garantir que as denúncias envolvendo a Petrobrás sejam apuradas.

O Líder do PSDB completou classificando a ação de Cardozo como antidemocrática. “É inaceitável por parte de um ministro da Justiça, que deveria zelar pela Constituição, negar a cidadãos o direito da livre manifestação. A atitude de Cardozo reproduz o caráter autoritário do governo Dilma, que quer censurar a imprensa, que não tolera o contraditório e que acha que está acima da lei”, afirmou.

Da Liderança do PSDB na Câmara

X
16/11/2014
Charges