Tripoli defende que tráfico de animais seja considerado crime hediondo

Em média, 43 mil animais silvestres foram apreendidos em todo país pelo Instituto Brasileiro de Meio Ambiente, o Ibama, desde o ano de 2002. Os dados são os mais recentes do relatório elaborado pela Coordenação de Fauna Silvestre do órgão, entre o período de 2002 e 2014. Em doze anos, cerca de 568 mil animais foram recebidos pelo instituto, sendo 275 mil já foram devolvidos à natureza. Para coibir a prática, um Projeto de Lei tramita pela Câmara dos Deputados em regime de urgência com o objetivo de endurecer as penas para o tráfico de animais. O PL 347/03, elaborado pela Comissão Parlamentar de Inquérito do Tráfico de Animais, considera crime qualificado o comércio ilegal de animais silvestres de forma permanente, com uma reclusão variando de dois a cinco anos, além de uma multa. Apesar do avanço, o deputado federal, integrante da comissão, Ricardo Tripoli, do PSDB de São Paulo, defende que a ação seja tida como crime hediondo para inibir essa prática e preservar a fauna brasileira.

Imprensa - 10/01/2017

Temas relacionados:


X
10/01/2017
Charges