Acompanhe- 14/06/2012

Ricardo Tripoli critica gestão petista na área ambiental

Assista ao vídeo:

Confira a degravação da entrevista com o deputado federal Ricardo Tripoli (PSDB-SP)

Retrocesso

Na verdade o Partido dos Trabalhadores não tem se dedicado a essa questão. Tanto que perdeu uma ministra de peso – Marina Silva -, que se empenhava, embora com algumas divergências que nós tivéssemos, ela possuía uma visão muito voltada para a questão da proteção ao meio ambiente.

Acho que há uma visão da nova presidente muito no investimento, na questão da energia em volume muito maior do que o necessário para o Brasil. Em vez de pequenas energias hidrelétricas, há enormes empresas energéticas que vão impactar muito a região onde se absolve água. O Brasil é um país que tem 12% de água doce de todo o planeta, ou seja, um patrimônio inestimável, porque um dia a água vai acabar.

Potência ambiental

O Brasil perde uma grande oportunidade nesse aspecto. Temos um volume a ser explorado dentro desse campo e o país não faz, e pior, sofremos a chamada pirataria. São os países que vem aqui, levam os produtos, confeccionam e vendem esses produtos para o mundo inteiro sem pagar royalties ao Brasil. A Floresta Amazônica, no futuro, terá um valor inestimável, o problema é que o governo não tem controle sobre essa situação e não define políticas públicas voltadas para a área do meio ambiente, para a questão da qualidade de vida. Isso é fundamental nos dias de hoje. Não é uma questão única de um partido, mas de toda uma nação. É fundamental essa preservação, esse trabalho, essa dedicação, esse apego à questão dos recursos naturais que o Brasil ainda tem.

PSDB na defesa do meio ambiente

O PSDB ajudou a elaborar as melhores leis que existem hoje no país. Foram figuras do PSDB que geraram várias legislações, seja a nível municipal, estadual ou federal de proteção das áreas verdes, dos recursos hídricos, de combate à desertificação do solo, da qualidade do ar e das mudanças climáticas. O precursor desse processo foram membros do PSDB. O que nós não podemos é perder de vista a importância de termos no governo Fernando Henrique, principalmente, no governo federal ter avançado bastante em relação às unidades de conservação que foram feitas, o respeito pelas regiões dos quilombolas, o respeito pelas áreas indígenas que hoje estão sendo entregues às empresas privadas. Quer dizer, um governo que se diz social democrata não pode, na verdade, cometer erros como comete o governo atual. O PSDB tem uma visão muito mais clara, mais oxigenada da questão da proteção ambiental.

Rio+20

A Rio +20 é um evento da Organização das Nações Unidas. São mais de 100 chefes de estado reunidos no Brasil para definir algumas estratégias para os próximos 10 anos. O importante seria que houvesse convergência de alguns assuntos para que pudessem ser colocados na prática. Tivemos, por exemplo, o Tratado de Kyoto que ainda não foi assinado pelos Estados Unidos e é um problema muito sério no que tange à questão das mudanças climáticas. Os países desenvolvidos eles ainda resistem muito em assinar esses tratados porque o grande carro chefe desse processo desenvolvimentista ainda é a queima de fósseis, ou seja, a queima de petróleo. Nós temos que olhar sob dois aspectos novos: a questão do diesel, do combustível, do petróleo e também dos recursos naturais.

X
28/03/2017