Juventude PSDB

Mais

COMISSÃO EXECUTIVA JPSDB (2017-2019)

Presidente    Marcos Estevão Marques Saraiva SP
Vice-Presidente Executivo    Julia Maia Jereissati CE
1º Vice-Presidente    Rafael Soares Rodrigues MS
2º Vice-Presidente    Pedro Duarte Soares Júnior RJ
Secretário Geral    Rodrigo Barros Correia Souza PE
Secretário Nacional de Comunicação    Djonathan Cisz SC
Secretário de Mobilização    Elivandro Henrique Barbosa PA
Secretário de Formação Política    Alex Zopeletto da Silva MT
Secretária de Finanças    Liziane Lucena Vieira AL
Secretária Nacional de Movimento Estudantil    Andressa Macedo de Oliveira RR
Secretária de Políticas Para Mulheres    Nathalia Bado SC
Líder de Causa – Articulação com o Congresso Nacional    Herbert de Azevedo Pimenta SE
Líder de Causa – Articulação Política    João Paulo Taumaturgo SC

HISTÓRICO

A Juventude tucana surgiu junto com a fundação do Partido da Social Democracia Brasileira, em 25 de junho de 1988. Muitos jovens que militavam no PMDB e em outros partidos, em organizações não-governamentais (ONGs) ou nas agremiações estudantis, acreditaram desde o início na proposta de formação de um partido social-democrata no Brasil. O movimento cresce com a memorável campanha de Mário Covas à Presidência do Brasil, em 1989.

Em 1989, no I Congresso Nacional da Juventude do PSDB, iniciou-se um processo de interiorização e de organização nacional. Cláudio Sena, da JPSDB de São Paulo, foi eleito como primeiro Coordenador Geral.

No II Congresso, em 20 de maio de 1990, aprovou-se o Estatuto da Juventude Nacional do PSDB, sendo reeleito Cláudio Sena.

No III Congresso da JPSDB, em 1991, Paulo Sena (JPSDB-SP), foi eleito. Decidiu-se pela oposição ao Governo Collor de Mello e o início da campanha pelo parlamentarismo.

No IV Congresso, em 1992, a Juventude tucana aderiu à campanha pelo impeachment do presidente Collor. Foi eleito Egídio Guerra, (JPSDB-CE), que, em 1993, foi destituído pelo Conselho Nacional de Políticas da Juventude, “por ausência sistemática na direção da entidade”. Assumiu provisoriamente a Vice-Coordenadora, Vanessa Robassini (JPSDB-DF).

No V Congresso, em 1994, decidiu-se apoiar a candidatura de Fernando Henrique Cardoso à Presidência da República e repudiar a forma de condução e a resultante coligação entre PSDB-PFL. Foi eleito Sandro Resende, JPSDB-GO, como Coordenador Geral.

A JPSDB participou ativamente da campanha presidencial e, em encontro com o presidente Fernando Henrique Cardoso, encaminhou manifesto favorável à criação do Conselho Nacional de Políticas Públicas para a Juventude e reafirmou o seu apoio às reformas que estavam sendo executadas pelo Governo Federal.

Em fevereiro de 1995 ocorreu, em Brasília (DF), o I Congresso Extraordinário Nacional da Juventude do PSDB, quando foi reformulado o seu Estatuto.

Na Convenção Nacional do Partido, para Reforma Estatutária, ocorrida no dia 8 de março de 1996, em Brasília (DF), a JPSDB foi oficializada como Secretaria Nacional, devendo se desdobrar em organismos estaduais e municipais. O novo Estatuto do PSDB prevê a filiação e a participação em atividades partidárias de jovens em idade inferior à do alistamento militar, dá ao Diretório Nacional do partido a tarefa de dispor sobre a organização e o funcionamento da JPSDB.

No VI Congresso foi reeleito Sandro Resende. Posteriormente, no VII Congresso, Eduardo Saron (JPSDB-SP) assumiu a direção da entidade. Em sua gestão foi criado o Laboratório de Aprendizagem Política (LAP), projeto revolucionário de nossa formação de militância política.

No VIII Congresso Nacional da JPSDB, foi eleito o jovem Adolpho Konder (JPSDB-RJ). No IX Congresso, foi eleito Bruno Galan, da JPSDB-TO, que se licenciou para organizar as candidaturas de todos os prefeitos e vereadores do estado de Tocantins, assumindo uma Comissão Provisória formada por três membros, Rodrigo Delmasso (JPSDB-DF), Bernardo Soares (JPSDB-DF) e Alexandre Andrade (JPSDB-SP).

Em maio de 2005, assume uma nova Comissão Provisória, integrada por nove representantes: Alexandre Andrade (JPSDB- MG), André Achutti (JPSDB-SC) , Bruno Covas (JPSDB-SP), Carla Araújo (JPSDB- PA), Edmar Neto (JPSDB-MS) e Kamyla Castro (JPSDB-CE) como titulares; e Leandro Monteiro (JPSDB SP), Leonardo Felipe (JPSDB GO) e Rodrigo Delmasso (JPSDB DF) como suplentes.

No X Congresso, assume a jovem Kamyla Castro (JPSDB-CE), como 1ª mulher a exercer a Presidência Nacional da Juventude Tucana, e Roberto Tross (JPSDB-MG) como representante da Juventude na Executiva Nacional do partido. Dando continuidade aos trabalhos e em reconhecimento à grande importância da formação de novos líderes, inicia-se em 2007 a III etapa do LAP, no frequente desafio de sensibilizar o jovem para a importância de uma atuação política direta, comprometida com a ética, a realidade, a competência e a honestidade que marcam a história do PSDB.

Em 2007, Bruno Covas (JPSDB-SP) foi eleito presidente da Juventude tucana, sendo posteriormente sucedido por Marcelo Richa (2011).

Durante o mandato do Marcelo a Juventude Tucana realizou o seu primeiro Congresso Nacional, realizado em Goiânia, no mesmo ano. O evento é considerado um marco para a Juventude, que pôde definir bandeiras e pautas a serem defendidas pelos militantes do secretariado.

Em 2013 ocorre a eleição de Olyntho Neto, sucedido em 2016 pela Comissão Provisória que exerce o seu mandato até dezembro de 2017. Entre as atribuições da atual gestão estão a regulamentação do seu novo estatuto, que define os parâmetros adequados para a realização de suas convenções, a identificação de novas lideranças e a formulação de uma agenda de militância partidária, cada vez mais unificada.

Em 8 de dezembro de 2017, é eleita nova Comissão Executiva do JPSDB, tendo Marcos Saraiva (SP) como presidente e Júlia Jereissati (CE) como vice-presidente executiva.

Presidente: Marcos Saraiva (SP) Vice-presidente: Júlia Jereissati (CE) 1º Secretário: Rodrigo Souza (PE)


X
02/09/2016
Charges