Notícias - 18/03/2019

Em encontro, Raquel Lyra estimula mais participação das mulheres na política

FOTO – JANAINA PEPEU

O 1º Encontro de Participação Política para Mulheres, promovido pela prefeitura de Caruaru, reuniu mais de 400 participantes na última sexta-feira (15/03) num evento alusivo ao 24 de fevereiro de 1932, quando se celebra o dia em que as brasileiras conquistaram o direito ao voto.

A iniciativa reuniu deputadas estaduais, entre elas a tucana Alessandra Vieira (foto), prefeitas, gestoras públicas e vereadoras do estado, além de representantes de movimentos sociais e ONGs e pesquisadoras.

“Parabenizo a prefeita Raquel Lyra pela iniciativa inovadora de trazer a população e os atores da gestão pública para esse debate que é  tão importante”, destacou Alessandra.

Com o auditório repleto, o evento foi pontuado por depoimentos e reflexões importantes. A secretária da Políticas para Mulheres de Caruaru, Juliana Gouveia, compôs a mesa de honra ao lado da prefeita Raquel Lyra (PSDB), e demais prefeitas e secretárias municipais presentes, além do vice-prefeito de Caruaru, Rodrigo Pinheiro (PSDB).

“No mês da mulher, em que a gente trabalha a reflexão sobre as lutas da mulher na nossa sociedade, a gente traz esse primeiro curso de formação política em Caruaru para garantir que elas ocupem cada vez mais os espaços de poder, num país que é extremamente desigual em relação à questão de gênero. Eu, como exemplo, sou a primeira mulher eleita prefeita de Caruaru. Por isso tenho não só o dever, mas a obrigação de poder participar, trazer o nosso exemplo, nosso estímulo, para que outras mulheres possam participar mais da política”, destacou Raquel.

Uma das palestrantes do encontro, a doutora em Ciências Políticas pela Universidade Federal de Pernambuco, Ana Maria Barros, ressaltou que no Brasil “as mulheres foram desestimuladas a participarem da política, como se esse não fosse o lugar delas”.

“A mulher hoje corresponde a maior parte do eleitorado brasileiro. Se ela não tiver lá representada, seja no poder executivo ou legislativo, ela não terá as suas pautas priorizadas. É importante que esses eventos sejam frequentes para que as mulheres que queiram participar da vida política sejam formadas, qualificadas para o enfrentamento do poder patriarcal”.

*Do PSDB-PE 

X
12/04/2019