Notícias - 03/08/2018

PSDB-Mulher organiza sua agenda eleitoral na véspera da convenção

Foto Denis William

A reunião ampliada do Secretariado Nacional do PSDB-Mulher, ocorrida nesta sexta-feira (3), em Brasília, começou em clima de animação. Membros do secretariado de vários estados do Brasil se encontraram um dia antes da Convenção Nacional do partido para discutir critérios para a distribuição do fundo eleitoral, planejar os próximos cursos de capacitação para 2019 e apresentar uma plataforma de prestação de contas das campanhas.

Em seu discurso de abertura, a presidente do secretariado, deputada federal Yeda Crusius (RS), comemorou a confirmação do nome da senadora Ana Amélia para vice-presidente na chapa de Geraldo Alckmin. Para Yeda, a escolha foi acertada e comprova o compromisso do tucano com a ampliação da participação das mulheres nos cargos de primeiro escalão.

“Está colocada a última peça que faltava no quebra-cabeça para eleger Geraldo Alckmin presidente. Uma vice mulher é algo de muita relevância. Ana Amélia tem sido coerente nos 8 anos que está no senado, eu tive o prazer de fazer aliança com ela na campanha de 2010”, disse.

Yeda destacou as recentes inciativas de Alckmin em prol das mulheres e relembrou que o PSDB foi o primeiro partido a homologar a decisão do Tribunal Superior Eleitoral, que garantiu os 30% do fundo eleitoral para as candidaturas femininas. “Geraldo passou na Frente nos 30%, passou na frente na escolha da vice e vai continuar passando na frente na presidência. Podemos ficar animadas sim. Bons tempos virão”, previu.

Por sugestão da deputada, a 3ª vice-presidente do PSDB-Mulher, Lêda Tâmega, redigiu uma moção de boas-vindas à senadora Ana Amélia, que foi lida para os presentes.

“As mulheres do PSDB sentem-se plenamente representadas na pessoa da senadora Ana Amélia, cuja história de vida é marcada por impecável e coerente atuação em defesa da ética e da probidade na política”, diz o texto.

A presidente de honra do PSDB-Mulher, Solange Jurema, que está ajudando a preparar a pauta feminina para o plano de governo de Geraldo Alckmin, fez um resumo do que está sendo elaborado para as tucanas presentes.

“O plano está em linhas gerais e depois vão ser colocadas metas, especificar as políticas necessárias para atender as demandas femininas. O mais importante é deixar claro que a questão da mulher tem que ser transversal e cabe em todos os temas. Depois vamos eleger juntas o que consideramos essencial”, explicou.

Prestação de contas

Em um segundo momento da reunião, o contador Guilherme Sturner deu explicações sobre prestação de contas e arrecadação de recursos para campanhas. As vantagens da arrecadação pela internet, os prazos para a prestação junto ao TSE, gastos permitidos, despesas dispensadas na prestação, fundo de caixa, penalidades foram os assuntos abordados. As tucanas participaram ativamente e tiraram dúvidas sobre os assuntos relacionados ao tema.

A vereadora Neusa de Oliveira (ES), pré-candidata a deputada estadual, destacou o comprometimento do partido em auxiliar as candidatas em assuntos burocráticos. “Se a gente não tiver este tipo de acompanhamento, nos perdemos entre pedir o voto e cuidar da credibilidade e transparência da nossa campanha. Percebo que o partido se preocupa não só com as candidatas, como também com a imagem da sigla junto à população”, concluiu.

Comissão Especial

Ao final da reunião, a assessora jurídica do PSDB-Mulher, Luciana Loureiro, reforçou o anúncio feito pela deputada Yeda Crusius que, durante o período eleitoral, uma comissão especial tratará dos assuntos referentes às candidatas tucanas. Solange Jurema, Izabel Lorenzetti, Thelma de Oliveira e Leda Tâmega foram incumbidas da missão de orientá-las.

X
18/10/2018