Acompanhe - 11/09/2019

Reconhecimento merecido: Solange Jurema conquista Diploma Mulher Cidadã

A presidente de honra do PSDB-Mulher, Solange Jurema, receberá, no próximo dia 17 de outubro, o Diploma Mulher-Cidadã Carlota Pereira de Queirós. A tucana foi a mais votada, nesta quarta-feira (11), entre as indicadas para a condecoração. Ela obteve 11 dos 19 votos na Comissão de Defesa dos Direitos da Mulher da Câmara.

A indicação feita pela deputada Tereza Nelma (PSDB-AL), faz jus à luta discreta, mas sempre firme de Solange Jurema em defesa dos direitos entre homens e mulheres. A premiação é uma homenagem às mulheres cujos trabalhos ou ações tenham contribuído para o pleno exercício da cidadania, na defesa dos direitos da mulher e questões do gênero no Brasil.

Precursora

É um reconhecimento merecido à primeira ministra da Mulher do Brasil, nomeada em 2002 pelo então presidente Fernando Henrique Cardoso. Na verdade, uma precursora da luta de muitas mulheres que também se juntaram à sua luta, como sua conterrânea e também agraciada com o Diploma Mulher –Cidadã: a jogadora de futebol Marta da Silva.

Ao conquistar este ano o posto de maior artilheira em Copa do Mundo, com 17 gols, superando inclusive os homens, Marta aproveitou o momento para gritar para o mundo, com sua chuteira sem patrocínio, que essa luta pela igualdade de direitos entre homens e mulheres ainda está longe de acontecer.

Serão agraciadas também: a procuradora de Justiça Dulcineia de Oliveira, a presidente da Associação Habitacional Nova Terra, movimento composto de 35 núcleos regionais com sede em Governador Valadares (MG), Catarina Gazele, a idealizadora do Projeto Glória, plataforma de inteligência artificial voltada para diminuir todas as formas de violência contra mulheres, Cristina Castro.

Perfil

Advogada, procuradora do estado de Alagoas aposentada, Solange Jurema foi presidente da Associação Brasileira de Mulheres da Área Jurídica, presidente do Conselho Nacional dos Direitos da Mulher e primeira ministra da Mulher quando foi criada a Secretaria de Estado na gestão do presidente Fernando Henrique Cardoso.

Solange conta que ao ser procurada por Fernando Henrique, chegou a recursar o convite pois estava acompanhando sua filha na maternidade. O presidente então avisou que aguardaria ela cuidar de sua filha, reconhecendo uma das situações mais comuns e difíceis na vida de tantas mulheres, que dividem seu tempo entre o trabalho e a maternidade.

No ano passado, integrou uma frente suprapartidária de mulheres que garantiu a destinação dos 30% dos recursos do Fundo Eleitoral para as candidaturas femininas. Pleito acatado não só pelo Tribunal Superior Eleitoral, como também pelo Supremo Tribunal Federal. Uma conquista que garantiu a eleição no ano passado da maior bancada feminina da história da Câmara, com 77 deputadas federais. Vale dizer que a bancada feminina do PSDB é a maior entre todos os partidos da Casa, com oito parlamentares.

Destaque

A deputada Tereza Nelma destacou a importância do trabalho por Solange Jurema. “Como presidente do PSDB-Mulher, garantiu a aplicação de 5% dos recursos do fundo partidário em programas de capacitação, incentivo e fomento destinado às candidaturas femininas dentro do PSDB”, disse.

Tereza Nelma lembrou que Solange Jurema também participou do movimento em favor da aprovação da lei que estabeleceu a cota e 30% para mulheres nas chapas proporcionais e destinação do mesmo percentual do Fundo Eleitoral para as campanhas femininas.

Carlota

Carlota Pereira de Queirós nasceu na cidade de São Paulo, em 1892. Médica, escritora, pedagoga e política, foi a primeira mulher brasileira a votar e ser eleita deputada federal. Ela participou dos trabalhos na Assembleia Nacional Constituinte, entre 1934 e 1935.

O mandato de Carlota Queirós foi em defesa da mulher e das crianças, trabalhava por melhorias educacionais que contemplassem tratamento mais adequado das mulheres. Além disso, publicou uma série de trabalhos em defesa da mulher brasileira.

X
16/09/2019