Filie-se
PSDB – SC
PSDB – SC


PSDB-Mulher incluirá pauta feminina no plano de governo de Geraldo Alckmin

14 de junho de 2018
Email Share

Representantes da Coordenação Executiva Nacional do PSDB-Mulher e o tesoureiro do PSDB Nacional, deputado federal Sílvio Torres (SP), se reuniram nesta quarta-feira (13), em Brasília, para definir como será a atuação feminina na campanha eleitoral de 2018. Foi acertada a inclusão da pauta feminina no plano de governo do pré-candidato à Presidência da República, Geraldo Alckmin.

Deverá ser agendada para a próxima semana um primeiro encontro entre a presidente do PSDB-Mulher, deputada federal Yeda Crusius, com o coordenador do programa de governo do PSDB, o economista Persio Arida, e o coordenador de comunicação da pré-campanha de Alckmin, o cientista político Luiz Felipe D’Ávila.

Durante o encontro com Sílvio Torres, o PSDB-Mulher apresentou seu planejamento para as eleições deste ano, bem como a lista preliminar das candidaturas femininas à Câmara dos Deputados e Assembleias Legislativas. A princípio serão 60 candidatas à deputada federal e cerca de 200 a deputada estadual. O tesoureiro do PSDB Nacional reiterou a disposição do partido em cumprir, sem contestações à Justiça Eleitoral ou ao Supremo Tribunal Federal (TSE), a decisão do Tribunal Superior Eleitoral (TSE) que destinou 30% dos recursos do chamado Fundo Eleitoral para a financiar exclusivamente candidaturas de mulheres.

“O PSDB não pretende assinar a Adin (Ação Direta de Inconstitucionalidade) que alguns partidos pretendem ingressar no STF para contestar a decisão do TSE que destinou os recursos para as candidaturas femininas”, avisou Sílvio Torres.

Reunião da Executiva do PSDB

A presidente do PSDB-Mulher, por sua vez, colocou para o tesoureiro do PSDB a intenção do segmento de se engajar de todas as formas possíveis na campanha tucana à Presidência da República. Silvio Torres antecipou que foi marcada para o próximo dia 26 uma reunião da Executiva Nacional para definir os critérios para a distribuição dos recursos do Fundo Eleitoral, já que esse planejamento terá de ser entregue à Justiça Eleitoral até o dia 30 de junho.

“Apresentar ao PSDB o nosso planejamento é na verdade ter a certeza de que a campanha das mulheres, mais uma vez, será integrada à campanha nacional. Estamos mostrando que o PSDB-Mulher é hoje um segmento extremamente organizado. Este ano o partido disputará uma campanha diferente e nós pretendemos trazer o partido para a pauta do século XXI, que inclui a pauta feminina em todos os setores da sociedade e economia”, salientou Yeda.

A tucana enfatizou o esforço do PSDB-Mulher em preparar as candidatas para uma nova realidade da política nacional e, com isso, aumentar verdadeiramente o número de mulheres em posição de destaque na sociedade. A meta do segmento é dobrar o número deputadas estaduais e ampliar ao máximo a bancada feminina no Congresso Nacional.

“Queremos na verdade, daqui até as eleições gerais em outubro, um plano de ação. Queremos fazer com que o Brasil realmente possa mudar daqui por diante e que os parlamentos sejam mais qualificados por mulheres competentes e mulheres com bandeiras políticas relevantes”, completou.

Sílvio Torres classificou como “fundamental” a inserção da pauta das mulheres no programa de governo de Alckmin e se comprometeu em levar as solicitações e ideias apresentadas à direção de comunicação da campanha presidencial tucana.

“Acho que um plano de governo de qualquer candidato à presidente, se não incluir as mulheres, mas não incluir apenas nominalmente, se não incluir as propostas que vem legitimamente debatidas e vem com a força da sociedade para um governo, eu acho que está fadado ao fracasso”, reconheceu o tesoureiro do PSDB.

A meta de ampliação das bancadas federal e estadual

O tucano parabenizou a organização do PSDB-Mulher e seu empenho para dobrar o número de eleitas nas últimas eleições. Sílvio Torres também mencionou a disposição de Alckmin em incluir as tucanas nos debates e discussão referentes ao seu programa de governo.

“Geraldo Alckmin que é um homem que tem uma grande admiração pelo trabalho das mulheres e agora ele faz questão de que elas estejam presentes na discussão e no debate de seu programa de governo, caso ele seja o nosso presidente da República, que é o que nós esperamos”, completou.

A presidente de honra do PSDB-Mulher, Solange Jurema (AL), frisou o momento único da política nacional para as mulheres e citou o ineditismo da abundância de recursos para as candidaturas femininas.

“Nós estamos vivendo momentos muito novos na política e, pela primeira vez na história, as mulheres têm recursos assegurados para suas campanhas”, ressaltou.

Para Solange, isso aumenta a responsabilidade das mulheres e defendeu métodos transparentes para a utilização dos recursos destinados às candidaturas femininas. “É muito importante que a gente discuta os critérios e que a gente escolha muito bem como é que vamos empregar este recurso, porque nós temos a responsabilidade de aumentar realmente o número de mulheres nesses espaços de poder”, disse.

A tucana lembrou que a falta de verbas para as campanhas femininas era uma reclamação antiga e destacou que a união entre homens e mulheres é benéfica para o partido neste momento específico do cenário político atual.

“É muito importante que a gente apresente a ótica das mulheres, o que as mulheres querem, e também seja definido como é que nós vamos nos engajar para termos o Alckmin presidente. Isso é muito importante. Nós mulheres somos o segmento do partido mais organizado, nós estamos em todos os estados e, portando, nós podemos dar uma grande contribuição nessa campanha”, concluiu.

Também estiveram presentes na reunião a 2ª vice-presidente, a prefeita de Chapada dos Guimarães Thelma de Oliveira, a 3ª vice-presidente Leda Tâmega, 1ª secretária Angela Sarquiz, a coordenadora de formação e Cidadania Bel Lorenzetti e a assessora jurídica Luciana Loureiro.

Compartilhe!

Assine nossa Newsletter

Ad