“Consciência Negra: não há democracia sem igualdade de oportunidades”, por Gabriela Cruz

Artigos - 18/11/2021

O Dia da Consciência Negra marca a importância das discussões e ações de combate ao racismo e à desigualdade social no país. Também refletimos sobre os avanços e os desafios da luta do povo negro na efetivação da igualdade de oportunidades sendo protagonista de sua própria história.

Para ter protagonismo, precisamos ocupar os espaços de poder e decisão, pois não há democracia sem igualdade de oportunidades. O Tucanafro celebra todas as conquistas históricas para a Promoção da Igualdade Racial iniciadas nos governos de Fernando Henrique Cardoso, o primeiro presidente da República a reconhecer o racismo existente no Brasil e a acolher as demandas históricas do movimento negro brasileiro e torná-las políticas públicas.

Precisamos pensar em processos democráticos legítimos, para que possamos ter um comprometimento tácito com nossa história em seu aspecto identitário e pedagógico. Queremos que contem a verdadeira história do povo negro na construção do Brasil em seu marco civilizatório, na sua resistência em sobreviver a quase 400 anos de escravidão sem nenhum direito garantido no pós Abolição da Escravatura. Para contar essa história, é necessário a plena efetivação da Lei 10639 que inclui no currículo oficial da rede de ensino a obrigatoriedade da presença da temática “História e Cultura Afro-Brasileira e Africana. A nossa resistência consiste em valorizar e apontar os saberes negros em todos os aspectos de nossa sociedade.

O Dia da Consciência Negra será celebrado um dia antes das Prévias do PSDB, vale ressaltar que o candidato eleito nesse domingo deve ter um grande compromisso e reconhecimento de que a população negra necessita de políticas públicas efetivas e permanentes, como sempre disse o nosso presidente de honra Juvenal Araújo em toda sua gestão na Secretaria de Políticas de Promoção da Igualdade Racial do Governo Federal.

Para as próximas eleições, será necessário um esforço permanente para combater a sub-representatividade negra na política, assim como fazer parte de forma efetiva na construção de nosso plano de governo.

Quando estamos falando em pobreza e desigualdades, sabemos que somos os mais atingidos por esta questão social. Somos mais de 54% da população brasileira, nossas mulheres negras são as maiores vítimas de violência e as que recebem os menores salários, sem falar nos impactos perversos que vivemos nessa pandemia, sendo os mais atingidos em todos os aspectos. A cada 23 minutos um jovem negro morre em nosso país, e tem seus sonhos e projetos mutilados pela violência e o racismo estrutural.

Queremos um cenário político onde nossa Militância Negra possa estar ativa em todos os debates, pois cada política universal deverá ter recorte de gênero e raça.

Nesse momento de intolerância e ódio instaurado no Brasil por esse governo retrógado que desmontou nossas conquistas históricas, o Secretariado da Militância Negra do PSDB ressalta a importância do nosso grande líder Zumbi dos Palmares e, com a sua ancestralidade viva em nós, iremos retomar um país que possa fazer de fato justiça e inclusão social para o povo negro brasileiro.

(*) Gestora pública, presidente nacional do Secretariado Nacional da Militâcia Negra do PSDB – Tucanafro


X
18/11/2021