Bolsonaro ressuscita o dragão da inflação

Editorial - 08/10/2021

Está na hora de quem já derrotou a inflação uma vez derrotá-la de novo. Porque Bolsonaro e o PT já mostraram que só sabem fazer o que não presta: alimentar o dragão e fazê-lo crescer até explodir.

Faz muito, muito tempo que o país não convive com inflação tão alta.

O IPCA do mês de setembro é o pior desde 1994, segundo divulgou o IBGE nesta manhã. Isso mesmo: o pior desde que, 27 anos atrás, o país derrotou o dragão da hiperinflação com o Plano Real, lançado pelo presidente Fernando Henrique Cardoso, então ministro da Fazenda.

Isso significa que também conquistas econômicas históricas estão agora sob ameaça. O país só tem andado para trás.

A inflação voltou a subir e o acumulado em 12 meses já está acima de dois dígitos: 10,25%, mais precisamente. A última vez em que isso aconteceu no país foi em fevereiro de 2016, no governo de, adivinhe…, Dilma Rousseff.

Os vilões são os itens que mais impacto produzem no cotidiano das pessoas: habitação, transportes, alimentação e bebidas.

Não se enxerga o governo Bolsonaro se movendo para tentar evitar que a alta dos preços pese tanto no bolso dos brasileiros, já esfolados pelo desemprego, pela pandemia da covid-19 e pelo marasmo econômico. Até agora, a única receita tem sido juros mais altos, que servem para ampliar as dificuldades.

Está na hora de quem já derrotou a inflação uma vez derrotá-la de novo. Porque Bolsonaro e o PT já mostraram que só sabem fazer o que não presta: alimentar o dragão e fazê-lo crescer até explodir.

Temas relacionados:


X
08/10/2021