Investigado por receber vantagens de origem suspeita, Lula agora critica financiamento empresarial

Acompanhe - 21/06/2016

EX-PR-LULA-EUROCAMARAS-CAPADurante evento no Rio de Janeiro, o ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva fez críticas ao financiamento empresarial de campanha e convocou a militância para abrir os bolsos e contribuir com as próximas campanhas eleitorais. O petista, que nunca soube esclarecer a rotina de arrecadação de sua campanha à reeleição e cujo instituto que leva seu nome recebia doações de construtoras investigadas na Lava Jato, defendeu que o engajamento dos eleitores será mais importante nas campanhas do que o dinheiro da classe empresarial. Para o deputado federal Eduardo Cury (PSDB-SP), o discurso de Lula é demagogo, já que o presidente é investigado por receber benefícios ilegais dos empresários que critica.

“Além de populismo e demagogia, é hipocrisia de Lula dizer que agora não vão precisar de dinheiro de empresas quando usaram, durante todos esses anos, dinheiro roubado e desviado. Se não concordam com isso, por que pegaram?”, disse o tucano.

Eduardo Cury ressalta que o uso ilícito de recursos provenientes de empresas pelo PT e por Lula não se restringiu às campanhas eleitorais. O tucano lembra que o petista é investigado por recebimento de benefícios indevidos de empreiteiras em troca de vantagens na Petrobras.

“Eles não só pegaram dinheiro das empresas para fazer campanha, o que dizem ser contra, mas usaram isso para colocar dinheiro no bolso, com apartamento no Guarujá, sítio em Atibaia, e não foi para campanha, foi para o bolso dele. Então é a corrupção sendo mascarada por um partido político”, apontou Cury.

O ex-presidente criticou ainda as propagandas de candidatos transmitidas pela TV como “filmes de Hollywood” sem mencionar, no entanto, que seu partido sempre recorreu às inserções na programação televisiva para conter a corrosão política sofrida nos últimos tempos.

Temas relacionados:


X
21/06/2016